sexta-feira, junho 01, 2007

Hoje no meu mail

Eu, uma criança há 30 anos atrás


Hoje, às 8h30 da manhã, ao entrar na sala de aula um aluno meu disse-me "Parabéns stôr!" eu eu, que já não sei bem a quantas ando, perguntei porquê e ele disse-me a rir "Porque é dia da criança!" - adolescentes!
Mas, este episódio, fez lembrar-me que hoje a efeméride a comemorar é o dia Mundial da Criança.
Em miúdo, entre outras razões, gostava especialmente deste dia porque era mais um dia do ano em que recebia um presente, sem ser o meu aniversário ou sem ser Natal!
(na altura já era, pelos vistos, um adepto do consumismo...)
Quando cheguei a casa, depois das aulas, tinha esta mensagem na minha caixa de mail:

"Olá Amigos (as)!
Este é também o nosso dia!
Que bom haver um dia em que podemos nos dedicar em especial à Criança que habita e sempre deverá habitar dentro! :D
Então, para vocês, meus Queridos Amigos e Eternas Crianças um Dia Muito Feliz!
Aproveitem as melhores coisas que a "nossa Criança" nos dá: O Sorriso fácil, o Abraço inesperado, o maravilhar pelo voo e cores das borboletas, a capacidade de voar em terra, de construír castelos nas nuvens!... enfim, no fim de tudo, são todas aquelas coisas que nos fazem SABER VIVER!...
Para todos, um eterno e feliz convívio com a vossa Criança!
Um Beijo Grande,"


Achei-a bonita e espero que a autora não se importe de eu a partilhar convosco.
Gostei da minha infância, de uma maneira geral, mas não tenho saudades nenhumas dela.
Ser adulto, apesar de tudo, é muito mais divertido e interessante.
O segredo está, parece-me, em manter a criança em nós e de vez em quando chamá-la para nos esquecermos dos dias menos bons da vida de adulto.
Um bom dia para todas as crianças e para todos os adultos que não as deixam morrer.

1 comentário:

A.H. disse...

Ando há dias espantado com este retrato. O texto que o acompanha dispensa comentários, a foto não. Nela vemos bem 3 atitudes/expressões tuas perante o real: espanto, medo e riso (vamos supor que não foi forçado, apenas provocado). Parece-me que apesar dos trinta, ainda é possível encontrares esse puto, esse olhar no espelho. Essa criança - tão pouco idilica - nunca se perde...