sexta-feira, setembro 14, 2007

Busy busy bee

Razão pela qual tenho estado tão silencioso este mês de Setembro: tenho trabalhado que nem um louco todos os dias para terminar um montão de projectos.
Acabou-se Agosto e os clientes, depois de muito banho de sol e de água, vieram cheios de energia para trabalhar. Estou com uma pilha de trabalhos para acabar até ao final do mês, tudo para a mesma altura...
E então é isso, ando que nem uma abelha operária, trabalho, trabalho e mais trabalho, nem tenho tempo para coçar o ferrão!
Será que todos eles pensam que são a única rainha na minha colmeia? Pior é que é isso mesmo que eles pensam!

Abelha-operária sofre! Porque é que eu não nasci abelha-rainha? Vejam só as diferenças entre uma e outra. Já o zangão não serve para nada mesmo, não faz nada na vida, só serve para fecundar a abelha-rainha e depois de o ter feito é posto na rua, acabando por morrer de fome. Aprendam:

"Uma abelha visita dez flores por minuto em busca do pólen e do néctar. Ela faz, em média, quarenta vôos diários, tocando em 40 mil flores. Com a língua, as abelhas recolhem o néctar do fundo de cada flor e o guardam numa bolsa localizada na garganta. Depois voltam à colméia e o néctar vai passando de abelha para abelha. Desse modo, a água que ele contém se evapora, ele engrossa e se transforma em mel. Uma abelha produz cinco gramas de mel por ano. Para produzir um quilo de mel, as abelhas precisam visitar 5 milhões de flores.

Uma colméia abriga até 80 mil abelhas. Tem uma rainha, alguns zangões e milhares de operárias. Se nascem duas rainhas ao mesmo tempo, elas lutam até que uma morra. Uma abelha rainha vive entre dois a cinco anos, enquanto as operárias não duram mais que um a quatro meses . As abelhas-rainhas põem mais de 3 mil ovos num único dia. Apenas as abelhas fêmeas trabalham.

O zangão nasce de um ovo não fecundado, não possui ferrão e sua única função é fecundar uma rainha virgem, morrendo logo após. Eles têm um faro muito apurado para identificar quando uma rainha executa seu vôo nupcial. Voam quilômetros de distância com o intuito de cruzarem a rainha durante o vôo nupcial. Após esse vôo os poucos que conseguem cruzar com a rainha (em torno de 15) logo após morrem mutilados. Os que não conseguem a proeza também morrem por não saber voltar para casa e tão pouco se alimentar sozinhos. A única missão dos machos é fecundar a rainha. Depois de cumprirem essa missão, eles não são mais aceites na colméia. Ficam de fora até morrer de fome.

A abelha operária, encarregada da proteção da colméia, tem um ferrão com pequenas farpas, o que impede que seja retirado com facilidade da pele humana. Depois de dar a ferroada, a abelha tenta escapar. Por causa das farpas, a parte posterior do abdômen, onde se localiza o ferrão, fica presa na pele da pessoa e a abelha morre. Já ao picar insetos, a abelha consegue retirar as farpas da vítima e sobrevive.

Ao bater as asas em vôo, uma abelha emite a nota lá3, cuja frequência é de 440 Hz. Isso significa que a abelha bate as asas 440 vezes por segundo. Quando, porém, está carregada de pólen, emite uma nota mi3 (330 Hz)."

Como vêm, ser abelha-rainha é só vantagens: vive-se muito mais tempo, tem-se tratamento de luxo e ainda se conhece machos novos de cada vez que se quer "divertir". O chato mesmo é ter de por tanto ovo num dia só. Mas também, não podia ser tudo bom, não é?
E este foi o momento National Geographic de hoje.
Espero que tenham aprendido mais alguma coisa sobre o fascinante mundo animal.
Quanto a mim, que não passo de uma reles abelha-operária, vou voltar para as minhas flores... hoje ainda só toquei em 20 mil, faltam-me outras tantas!
Bzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

Sem comentários: