sábado, fevereiro 24, 2007

I dont wanna wait in vain

"(...) há muito que os teus dias são o decalque uns dos outros (...)"

Al Berto in Depois

sexta-feira, fevereiro 23, 2007

Ser designer é... - Parte II


quinta-feira, fevereiro 22, 2007

The Sandstorm in You

"Sometimes fate is like a small sandstorm that keeps changing direction.
You change direction, but the sandstorm chases you.
You turn again, but the storm adjusts.
Over and over you play this out, like some omnious dance with death just before dawn.
Why?
Because this storm isnt't something that blew in from far away, something that has nothing to do with you.
This storm is you.
Something inside you.
So all you can do is give in to it, step right inside the storm, closing your eyes and plugging up your ears so the sand doesn’t get in, and walk through it, step by step.
There’s no sun there, no moon, no direction, no sense of time.
Just fine white sand swirling up into the sky like pulverised bones.
That’s the kind of sandstorm you need to imagine."

Haruki Murakami in Kafka on the Shore

quarta-feira, fevereiro 21, 2007

Little Water Song

Uma música maravilhosa que ouvi/vi (há alguns meses atrás) no divertidíssimo e excelente filme "Romance & Cigarettes".
A letra é de Nick Cave, cantada por Ute Lemper e aqui interpretada por uma desesperada Tula (Kate Winslet), ao ver-se desprezada pelo homem que ama.
Belo!

A letra:

"Under here, you just take my breath away
Under here, the water flows over my head
I can hear the little fishes

Under here whispering your most terrible name
Under here, they've given me starfish for eyes
And your head is a big red balloon

Under here, your huge hand is heavy on my chest
Ah, and under here, Sir, your lovely voice retreats
And yes, you take my breath away

Look at my hair, as it waves and waves
Sir, under here, I have such pretty hair
Silver, it is, and filled with silver bubbles

Ah, and under here, my blood will be a cloud
And under here my dreams are made of water
And, Sir, you just take my breath away

For under here, my pretty breasts are piled high
With stones and I cannot breathe
And tiny little fishes enter me

Under here, I am made ready
And under here, I am washed clean
And I glow with the greatness of my hate for you"

terça-feira, fevereiro 20, 2007

Limpar o passado

Hoje resolvi usar o feriado de Carnaval para fazer limpezas em casa.
No meio de tanta limpeza, acabei por fazer uma incursão às teias de aranha do passado - a quantidade de papelinhos e recordações inúteis que vamos acumulando ao longo da vida é impressionante!
A vantagem de fazer estas limpezas de vez em quando é que, com a distância do tempo, muitas dessas coisas inúteis, que vamos guardando, deixam de fazer sentido uns anos depois e assim é bem mais fácil desfazermo-nos delas.
Mas, como em tudo na vida, há que saber separar o trigo do joio... foi o caso de um papelinho que reencontrei hoje no meio do pó do papel, nele estava um texto antigo da faroleira do meu coração.
Não sei porque o guardei, talvez para reencontrá-lo hoje, tantos anos depois.
Faz muito mais sentido, agora que o releio com a distância dos anos e as mazelas com que a vida (ou eu mesmo!?) me foi (fui) marcando, do que na altura em que o li pela primeira vez.
Aqui o deixo:

"Sequei, entre as paredes das palavras
e os gestos (ou pensamentos) do passado
Já não sei desenhar, e choro
por ter perdido esses traços
que as mãos gritaram
por já não terem contexto (ou vida?)
E se os olhos lúcidos das estátuas
vissem tudo em seu redor
pereceriam do mármore e do bronze
que o criador esculpiu e impôs
e gotejavam em lânguido gelo
para subir nos sonhos dos outros."
R.N.

P.S. - Ainda assim, consegui fazer dois sacos de lixo/recordações inúteis...

sábado, fevereiro 17, 2007

The one I love

Amar a humanidade é fácil; o difícil é amar seres humanos.
(Kalman Shulman)
A ti, meu querido sobrinho, amar-te é das coisas mais fáceis que tenho na vida.
Obrigado por existires no meu mundo e espero que te tornes num adulto tão bonito tanto, se possível mais, quanto o és agora enquanto criança.
Amo-te!

Hoje

E troco a minha vida por um dia de ilusão

Silêncio e tanta gente

Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro o amor em teu olhar
É uma pedra
Ou um grito
Que nasce em qualquer lugar

Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal aquilo que sou
Sou um grito
Ou sou uma pedra
De um lugar onde não estou

Às vezes sou também
O tempo que tarda em passar
E aquilo em que ninguém quer acreditar

Às vezes sou também
Um sim alegre
Ou um triste não
E troco a minha vida por um dia de ilusão
E troco a minha vida por um dia de ilusão

Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro as palavras por dizer
É uma pedra
Ou um grito
De um amor por acontecer

Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal p'ra onde vou
E esta pedra
E este grito
São a história d'aquilo que sou

Letra e música: Maria Guinot
(vencedora do festival da cançao de 1984)

sexta-feira, fevereiro 16, 2007

14.02.2007- II

maravilhar-te as insónias
com o paciente crepúsculo da idade
acordar fora do corpo esquecer o olhar
sobre o pêlo ruivo dos animais beber
o fulgor das estrelas no esplendor da alba
nomear-te
para recomeçarmos juntos a vida toda

ensinar-te o segredo dos alquímicos minerais
acender-te um pouco de culpa
na imatura paisagem do coração

eis a travessia que te proponho
amanhecer sem querermos possuir o mundo
e no orvalho da noite saciar o desejo adiado
respirar a música inaudível das galáxias
sentir o tremeluzir da água no medo na boca

o amor
deve ser esta perseguição de sombras
esta cabeça de mármore decepada
ou este deserto
onde o receio de te perder permanece oculto
na sujidade antiga dos dias.

Al Berto in O Medo (uma existência de papel, 1984/1985)

Ainda por causa de Valentim

"Lenços dos Namorados - Histórias de amores e desamores perpetuados pela arte de bordar"

Título da exposição (e venda) patente na loja "A Arte da Terra" (em Lisboa, ao pé da Sé).
A exposição dedicada aos Lenços dos Namorados está patente até 28/02, de 3ª a domingo, das 11h00 às 20h00.
São peças lindas e com uma tradição secular no nosso país - vale a pena conhecer melhor a sua história e sorrir com os seus versos toscos e cheios de erros ortográficos!
Amor no seu mais puro estado de carolice :-)
Actualmente são peças de artesanato caríssimas e muito trendy (andam nas passerelles nas colecções de Nuno Gama).

14.02.2007

Ontem, saiu-me esta mensagem, qual fortune cookie, num bar que celebrava o dia de São Valentim ofertando aos presentes uns canudinhos com mensagens.
Touché!