quarta-feira, maio 30, 2007

So far, so good!

"Early 30s is a great time to be alive - you're still young, but you have experience. A powerful combo.
The downside is all that weird rockstar shit you believe about yourself is well past its sell-by date, and if you haven't outgrown it by then, it starts to fuck up your life."


Hugh MacLeod at gapingvoid: "cartoons drawn on the back of business cards"

terça-feira, maio 29, 2007

It's official!

segunda-feira, maio 28, 2007

Dia Europeu dos Vizinhos – A Festa dos Vizinhos

Óh vizinha, tem salsa?
Lembro-me dos meus tempos de criança quando a minha mãe me pedia que fosse pedir qualquer coisa aos vizinhos e eu, já hiper atrofiado de timidez, gelava!

Por ironia do destino, amanhã - para os mais distraídos, o dia do meu 30.º aniversário - comemora-se o “Dia Europeu dos Vizinhos – A Festa dos Vizinhos”.

É uma iniciativa engraçada que tem o seguinte objectivo:

"(...) é uma ocasião de reencontrar os seus vizinhos e desenvolver laços de amizade, rompendo o anonimato e o isolamento que vem a aumentar nas nossas cidades.
Juntar os seus vizinhos numa mesa, entre as 20h e a 22h, no dia 29 de Maio de 2006 e aproximarem-se (...)"


Amanhã, por essa hora, terei uma casa cheia, não de vizinhos mas de sobrinhos, manas, cunhados e a minha querida mãe.

Perdoem-me os organizadores do evento que, apesar de ser uma ideia com as melhores intenções, não contariam com a minha adesão... até porque os meus vizinhos não são grande coisa! Vão desde o casalinho-novo-do-lado que murmuram por obrigação uns "bons dias" quando passam ao meu lado na escada; aos brasileiros do andar de baixo que passam o fim-de-semana inteiro a fazer festas de feijoada acompanhadas de muita música forró e sertaneja... Podia ser pior, bem sei, podiam ser metaleiros ou gótico-depressivos, adoradores de satanás ou ainda velhinhas com a casa cheia de gatos!

Se não tiverem nada para fazer amanhã, se jantam sozinhos, adiram ao evento e convidem um vizinho para jantar (especialmente se for um vizinho jeitoso), ou para ajudar a fazê-lo ou ainda, e porque não, para ele próprio ser "o jantar".
Enfim, bom dia do vizinho para todos vocês!

Estado Novo

Golpe militar de 28 de Maio de 1926
(desfile do Marechal Gomes da Costa e suas tropas)
Cartazes de Propaganda do Estado Novo
António de Oliveira Salazar e a sua tomada de posse da pasta das Finanças


O 25 de Abril tinha sido há 3 anos, Salazar estava morto há 7 e já havia sido afastado do poder há 9, o golpe da Ditadura Militar que o levou ao poder, dando origem ao Estado Novo tinha sido há 49 anos (28 de Maio de 1926) e, ainda assim, a minha mãe teve que se aguentar que nem uma estóica para só me dar a conhecer ao mundo no dia 29 de Maio por imposição do meu pai, comunista extremíssimo que morreria se tivesse um filho nascido no 28 de Maio.

Sendo assim, apesar das águas lhe terem rebentado no dia 28 de Maio de 1977, só depois da meia-noite é que o meu pai levou a minha mãe para o Hospital de Santa Maria em Lisboa - é de salientar que a minha família morava na margem sul... (na altura já era o deserto que o ministro Mário Lino mencionou esta semanana).

Depois de algum esforço lá nasci eu, pouco passava da 1 da manhã, num último domingo de Maio, altura em que se comemorava o dia da Mãe - como já referenciei aqui, num post anterior.

E assim é a aventura do meu nascimento, que todos os anos ouço pela voz da minha querida mãe.

Já lá vão 30 anos, mas continuo, praticamente, em estado novo! :-)

Birthday material wishes

Como estou prestes a fazer 30 anos, a sair da fase de jovem-adulto e a entrar na de adulto-adulto, penso que a ocasião merece um tratamento especial que marque para sempre a efeméride.
Como tal, juntem lá uns cêntimos do fundo das vossas carteiras e esforcem-se para me presentear com um destes items da minha modesta wishlist. A saber:

O primeiro pedido é uma edição especial da quadrologia do Alien, existe a versão caixa, mas esta que vi no site da Fnac, é um must! (para os fãs da saga, como eu, obviamente)
"Aliens Quadrilogy (Edição Limitada de Coleccionador)
Caixa em formato de cabeça de Alien especial de edição limitada que inclui os quatro filmes da saga "Alien", realizados por Ridley Scott ("Alien - O 8º Passageiro"), James Cameron ("Aliens - O Recontro Final"), David Fincher ("Alien 3 - A Desforra") e Jean-Pierre Jeunet ("Alien - O Regresso"), todos eles em edições especiais . Num total de 9 discos, recheado de extras com mais de 40 horas."O segundo pedido é apenas um apontamento sobre outros filmes que gostei de ver e gostaria de rever, if you know what I mean!
Quem me conhece, sabe os meus gostos, por isso a tarefa não é difícil! Até nisto eu sou amiguinho! (lol)
O terceiro é, de novo mais um pedido material, um novo Nokia, que o meu está prestes a desintegrar-se... Como sou amigo, até vos deixo escolher um de dois modelos:
O primeiro é o Nokia 6288, o segundo o Nokia 5300 (prefiro na versão cinzento).

E pronto, agora que já parei de sonhar, digo-vos que ter alguns amigos por perto, ou pelo menos ser lembrado por eles; ter a minha família de cigano-italianos a soprar as velinhas comigo; continuar a merecer o carinho, amizade e amor de quem é importante na minha vida (e não estou a passar graxa para que me comprem presentes!), será o que me basta para chegar ao fim do dia e pensar:
Tem valido a pena, obrigado!

sexta-feira, maio 25, 2007

Números

Estou a menos de 96 horas, ou 5760 minutos, ou ainda 345600 segundos, para completar 10958 dias de vida nesta encarnação!

quarta-feira, maio 23, 2007

Hoje no meu mail

Graças às provas de aferição de Língua Portuguesa e de Matemática, dos 4.º e 6.º anos do EB - as quais fizeram com que fosse destacado como técnico de informática do programa PAEB na escola onde estou a dar aulas, mal tenho tido tempo para "coçá-los" e por isso tenho deixado este blogue sem notícias desde segunda de manhã.
Hoje, um dos dias em que consegui chegar mais cedo a casa (saí da escola às 21h00), tive tempo para ver o meu mail e tinha este cartoon bem engraçado:
Adão e Eva, versão Taliban

E por hoje acho que é o máximo que consigo fazer aqui... vou descansar, que isto de andar a brincar às escolas e às aferições cansa!

segunda-feira, maio 21, 2007

Números

150.000
O número de postos de trabalho prometidos por Sócrates (últimas eleições legislativas).

470.000
O número desempregados em Portugal (Maio de 2007).

E o povo sai à rua pela vitória do FCP e porque o Vitória de Setúbal não desceu da 1.ª divisão...

Vou brincar às escolas, até logo. Bom dia!

sábado, maio 19, 2007

Foi há uma semana

Já foi há uma semana e continuo a lembrar-me de como foi espetacular!
Vale-nos o Youtube, e o pessoal que se deu ao trabalho de gravar e colocar lá os vídeos, para podermos ir recordando essa noite magnífica.
Um dos meus momentos favoritos da noite, pela melhor conjugação de todos os elementos do espetáculo (videowall, som, luzes, a interpretação do George e do público) foi este:

George Michael, Coimbra 12/05/07 - Too Funky(primeira parte)

Deixo-vos também aqui mais umas amostras daquilo que foi o sábado passado:

Sorry (Início do show)

Shoot the dog (Fim da primeira parte)

Faith (Início da segunda parte)

Freedom II (Fim do show)

Waiting for thay day


George Michael waiting for thay day

Waiting for thay day - George Michael
So every day I see you in some other face
They crack a smile, talk a while
Try to take your place
My memory serves me far too well

I just sit here on this mountain thinking to myself
Youre a fool boy
Why dont you go down
Find somebody
Find somebody else
My memory serves me far too well

Its not as though we just broke up
Its not as though it was yesterday
But something I just cant explain
Something in me needs this pain
I know Ill never see your face again

Cmon now
Ive got to be strong now

Now everybodys talking about this new decade
Like you say the magic numbers
Then just say goodbye to
The stupid mistakes you made
Oh my memory serves me far too well

Dont you know that
The years will come and go
Some of us will change our lives
Some of us still have nothing to show
Nothing baby
But memories

And if these wounds
They are self-inflicted
I dont really know
How my poor heart could have protected me
But if I have to carry this pain
If you will not share the blame
I deserve to see your face again

Cmon now
You dont have to be so strong now
Come back

Come back to me darling
I will make it worth your while
Come back to your baby
I miss your kiss
I miss your smile
Seems to me the peace I search to find
Aint going to be mine until you say you will
Dont you keep me waiting for that day
I know, I know, I know
You hear these words that I say

You cant always get what you want

Setúbal

Pelo tempo que vivo nesta cidade, já devia ter percebido a aversão que o meu irmão tem por ela. Oh cidade de gente mesquinha!

Como é possível a uma cidade com tanta coisa bonita, interessante e grandiosa à sua volta, tenha dentro de si gente tão poucochinha, desinteressante e maldosa? Porque é que não arranjam a vossa própria sarna para se coçarem, em vez de andarem tão interessados e preocupados em coçar a sarna dos outros? É assim tão interessante a minha vida, ou desinteressante a vossa, a ponto de andarem atrás de mim a ver o que faço e deixo de fazer?

Deixo-vos apenas um conselho:
Metam-se nas vossas vidas e deixem-me sossegado!

Shrek the Third

Estreou ontem nos States o terceiro filme da saga do ogre mais famoso da história do cinema: Shrek, the Third, ou em português, Shrek, o Terceiro.

Mal posso esperar que chegue cá! Diz que é para 21 de Junho, entretanto isso vai dar tempo ao pessoal para meter na net as famosas versões gravadas dentro da sala de cinema, com os respectivos solavancos de uma qualquer mão cansada de segurar no aparelho de pirateio, com as silhuetas que passam em frente à câmera do "pirata", e legendas amarelas em português do Brasil...

Adiante, como todos os fãs esperavam, as aventuras de Shrek, da princesa Fiona, do Burro, do Gato das Botas e de tantos outros, continuam. Desta feita, mete uns ogrezinhos ao barulho, uma trupe de princezas, dos contos tradicionais, transformadas em Karatecas e um Artie (com o coquete Justin Timberlake na dobragem), primo de Fiona, que terá de safar Shrek das funções reais do reino de Bué-Bué Longe. Promete!

Aqui está o teaser trailler para abrir o apetite:

sexta-feira, maio 18, 2007

Há dias mais difíceis que outros - 2ª Parte

Há 3 anos foi assim:
Presenteaste-me com um desenho (de mim) teu e que tanto me surpreendeu pela escolha certeira das palavras do poema que o acompanhavam.
Parecia um raio-x àquilo que eu sempre considerei ser o meu "trunfo", aquilo que tenho de mais encantador para os outros, não os meus olhos, o meu olhar. E digo-o não com uma qualquer espécie de vaidade ou imodéstia, mas por mo terem confidenciado inúmeras vezes ser o que tenho de mais fascinante para os outros... enfim, considerações aparte, amei esse presente!
Ainda hoje esse desenho me acompanha no quarto, à cabeceira, por gostar tanto dele.

Hoje:
Tenho apenas um estranho silêncio e alguma saudade.

quarta-feira, maio 16, 2007

Há dias mais difíceis que outros

Hoje ao ver um blog amigo, o qual consulto regularmente, apanhei uma mão cheia de cerejas.LESLIE FEISTPrimeiro recordei Feist e o quanto gosto da sua sonoridade, por tudo e principalmente pela voz ESSENTIAL LACOSTEde Leslie Feist – “Mushaboom”, foi o seu primeiro single mais conhecido entre nós, graças ao anúncio do perfume masculino Essential da Lacoste (aquele do mocinho que salta nos pilares à beira-mar). Depois, com a segunda cereja, recordei-me da primeira vez que a voz de Leslie Feist me tocou realmente – no anúncio, foi algo que me passou um pouco ao lado.

Isso só aconteceu com “La Même Histoire”, escrita por Elizabeth Anais e produzida por Manu Guillo (produtor dos Eurythmics). Uma música que foi propositadamente pedida a Feist que a cantasse, para a banda sonora original do filme “Paris Je t'aime”.

PARIS JE T'AIMESurge assim, o terceiro cacho de cerejas, este filme fantástico que vi no cinema há uns meses atrás e que foi dos melhores que já vi até hoje. Porque fala de amor e da cidade, por excelência, desse sentimento: Paris – como romântico incurável, confesso e lamechas que sou, podem imaginar como este filme fits me like a glove.

Do mesmo produtor de outro grande filme “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain” saiu a ideia genial de pedir a 18 realizadores que contassem 18 histórias diferentes sobre o amor nas suas mais diversas variações, vertentes e nuances. Cada segmento do filme, com não mais que 5 minutos – uma imposição feita aos realizadores, (uma outra era a de não demorarem mais de dois dias em filmagens) – passa-se num bairro típico de Paris, o qual dá o nome à curta-metragem (Montmartre, Tuileries, Bastille, Le Marais, Quais de Seine, Tour Eiffel, Quartier Latin, Père-Lachaise, etc.).

Eis, com a música de Feist (na versão inglesa), o teaser trailer:


Paris Je t'aime - trailer com música de Feist - La même histoire

Além dos excelentes realizadores, das histórias de ir às lágrimas (e ao riso, à estranheza, ao medo, ao suspense, etc.), da banda sonora, o filme conta ainda com a participação de alguns dos meus actores preferidos, tais como a fabulosa Fanny Ardant, o louco do Steve Buschemi, o giraço do Gaspard Ulliel, o fantástico Gérard Depardieu, a Juliette Binoche, Willem Dafoe, Marianne Faithfull, Nick Nolte, Maggie Gyllenhaal, Bob Hoskins, Catalina Sandino Moreno, Elijah Wood, a veterana Gena Rowlands, entre tantos e tantos outros.

Dentro das 18 histórias, tenho as minhas preferidas, as que ficaram foram:
• Irmãos Cohen (Tuileries, com Steve Buschemi) – hilariante cena do turista americano no metro;
• Sylvain Chomet (Tour Eiffel) – a família de mimos;
• Richard LaGravenese (Pigalle) – pela Fanny Ardant;
• Walter Salles (Loin du 16ème) – a ama que deixa a sua bebé num berçário durante todo o dia para poder ir tomar conta da bebé da patroa rica;
• Gus Van Sant (Le Marais) – um dos meus favoritos, pelo óbvio, a história, a declaração de Gaspard (Gaspard Ulliel - o Hannibal Lecter de 2007) a Elie (Elias McConnell - entra no filme Elephant de 2003 e do mesmo realizador) e com uma aparição breve de Marianne Faithfull … linda a história.

Para quem percebe francês, aqui vai o segmento completo:


Gus Van Sant – segmento Le Marais

Percebe-se porquê, não?

Só para terminar este post já tão longo (será que alguém chegou até aqui?), há ainda uma outra história, a de Tom Tykwer (Faubourg Saint-Denis), de onde sai um texto que me dói tanto, por poder ter sido escrito por mim. Diz Francine (Natalie Portman):

“Thomas Listen. Listen. There are times when life calls out for a change. A transition. Like the seasons. Our spring was wonderful, but summer is over now and we missed out on autumn. And now all of a sudden, it's cold, so cold that everything is freezing over. Our love fell asleep, and the snow took it by surprise. But if you fall asleep in the snow, you don't feel death coming. Take care.”

Hoje, todas estas lembranças levaram-me para outros caminhos na minha cabeça, no meu coração e fizeram com que tivesse uma recaída de ânimo…
Como pode um sentimento ser tão bom e também tão ingrato ao mesmo tempo!?!
Ainda teremos Paris à nossa espera?

Para fazer a “pescadinha de rabo na boca”, deixo a letra de “La même histoire”, da Leslie Feist, a tal, lá do início do post, ainda se lembram dela?

La même histoire
Quel est donc
Ce lien entre nous
Cette chose indéfinissable?
Où vont ces destins qui se nouent
Pour nous rendre inséparables?

On avance
Au fil du temps
Au gré du vent

On vit au jour le jour
Nos envies, nos amours
On s’en va sans savoir
On est toujours
Dans la même histoire…

Quel est donc
Ce qui nous sépare
Qui par hasard nous réunit?
Pourquoi tant d’allers, de départs
Dans cette ronde infinie?

On avance
Au fil du temps
Au gré du vent… ainsi…

On vit au jour le jour
Nos envies, nos amours
On s’en va sans savoir
On est toujours
Dans la même histoire…

Fui ver

Depois de algumas peripécias, que incluíram um cartão MB danificado, uma mordidela de um cão e um pneu furado, lá consegui ir ver o filme que tanto queria: FUR - an imaginary portrait of Diane Arbus - perdi os primeiros minutos do filme, mas consegui vê-lo!
Apesar do filme ter estreado em Março, só agora passou aqui na "Santa" terrinha. Enfim... mais vale tarde, que nunca!
O filme apresenta-nos uma visão imaginária e fantástica, baseada no livro de Patricia Bosworth “Diane Arbus: A Biography", do processo de despertar de uma american housewife, da upper-class nova iorquina dos anos 50/60, que se transformaria numa fotógrafa mundialmente reconhecida.
Quem não a conhece, informe-se aqui, ou faça uma pesquisa de imagens no Google e fica rapidamente familiarizado com a obra que ela deixou, numa carreira tão curta.
As interpretações de Nicole Kidman (Diane) e Robert Downey Jr. (Lionel) são excelentes, assim como a fotografia, a banda sonora, os cenários, o guarda-roupa, tudo!
A ver, sem dúvida!

segunda-feira, maio 14, 2007

Still King of the POP


George Michael - 25 Live - Coimbra May 12 2007 - Portugal

Não levei câmera de filmar, nem máquina fotográfica.
Tirei duas ou três fotos com o meu Nokia, mas ainda não consegui passar aqui para o PC.
Mas, conhecendo já alguma coisa da previsibilidade da espécie humana, tinha a certeza que alguém acabaria por filmar e meter no Youtube o Show fantástico que fui ver ontem a Coimbra.
Os vídeos não são meus, mas de alguém que também lá esteve e, pela posição, alguém que esteve bem perto de mim (se bem que eu estava ainda mais perto do palco).
Não sei quem és, mas obrigado!
Aqui está um "cheirinho" do show:


George Michael - Father Figure live25 Coimbra


George Michael - Careless Whisper live25 Coimbra

O show foi lindo!
Os grafismos que passavam nos écrans gigantes e no palco (todo ele composto por leds minúsculos) eram alegres, psicadélicos e ilustravam as músicas na perfeição.
George Michael, com um ar mais "inchado", continua em grande forma vocal, apesar da sua voz já não fazer aqueles agudos que me arrepiavam a espinha.
Os back vocals, fantásticos!
Tudo 5 estrelas!!! Excepto os 25 minutos de atraso (seria uma metáfora aos 25 anos de carreira? ou aos 25 anos que demorou a vir a Portugal?) e mais os 20 minutos de intervalo.
Depois de ter cantado a primeira música Waiting (bem a propósito), pediu-nos desculpas pelos 25 anos de atraso (não tinham sido 25 minutos?) e conquistou o público que, de imediato, esqueceu a espera - não sei se a dos 25 minutos, se a dos 25 anos.
Depois do final, ainda tivemos direito a mais 3 músicas.
A cereja no topo do bolo foi Freedom 90, com uma multidão ao rubro.
Volta Jorge Miguel, estás perdoado!

sábado, maio 12, 2007

I'm going!

Mais logo vou estar aqui, no Estádio Cidade de Coimbra, no meio 30 mil fãs que se deslocam ao centro do país, para ir ouvir de um tal de Geórgios Kyriácos Panayiótou...

Há anos que não vou a Coimbra! Há coisa de uns 9/10 anos.
Mas certamente não terei tempo para revisitar alguns dos sítios que tanto gostei de conhecer.
Passámos lá uns dias fantásticos, eu, o meu mano, a Sandra e a Dora (que será feito dessa grande maluca?), na altura em que estudávamos em Tomar.
Os degraus do Quebra Costas, o Jardim da Sereia e a sua magnífica fonte, a zona da Universidade, a Via Latina, a Torre e a Cabra logo ali ao lado, as Sés (a Velha e a Nova), aquela praça central (do Comércio?) com os seus cafés e esplanadas , a zona da baixa com as suas tasquinhas, os bares e as discotecas, a noite que fervilhava, etc., etc., etc., são algumas das imagens que recordo...
Ah! E um par de algemas, oferecidas como presente de São Valentim! cof... cof...
Belos tempos!

sexta-feira, maio 11, 2007

Já só faltam 16 dias

E a meta dos 30 cada vez mais próxima!
30 anos faz-me lembrar um trabalho que fiz na antiga disciplina de Educação Visual (actual E.V.T.), no ano de 1987.

Estávamos a aprender a circunferência e como fazê-la com o compasso - essa ferramenta estranhíssima e com aspecto de objecto de tortura medieval.
A mando da professora, no final da aprendizagem, deveríamos desenhar uma composição tendo por base a circunferência.
A minha escolha caíu sobre a reprodução do logotipo comemorativo do 30.º aniversário da RTP que se celebrava na altura - este ano comemoram-se os 50 anos, já lá vão 20!!
Se bem me lembro (a memória começa a fraquejar), era qualquer coisa parecida com a imagem que acompanha este post.
Lembro-me que levei uma eternidade para fazer este logotipo, com o tal objecto de tortura medieval, hoje fi-lo em menos de 5 minutos no Freehand - se ao menos houvesse computadores nas escolas naquela altura, tudo teria sido bem mais fácil!
.................................................
Agora surgiu-me à cabeça esta estranha conclusão:
Se, aos 10 anos já andava no meio dos logotipos, isso faz com que esteja há, pelo menos, outros vinte no mundo do design gráfico.
Arghhhhhhh!!!

Vaidade

2393 Visitantes desde Julho 2006

Ainda que não conheça a maioria que por aqui passa, vocês desse lado sabem quem são e fazem com que continue a manter o entusiasmo e interesse por este meu "diário virtual".
Ali está ela, na China (Pequim), alguém na Austrália, temos Venezuela (Caracas e Maracaíbo), o Brasil (São Paulo), Reino Unido (Leeds e Yarm), Itália (Bari), vários estados dos E.U.A. (será que me entendem?)... e claro, todos os meus assíduos leitores portugueses (de Braga a Beja).
Muito obrigado a todos por continuarem a "visitar-me".
Um abraço daqui deste lado do ecran para esse!

Volver

Continuando na onda "Almodóvar", eis mais uma cena, de arrepiar os pêlos, do filme "Volver" com Penélope Cruz - aqui, num excelente playback, interpretando uma música de Carlos Gardel originalmente cantada por Estrella Morente.

Volver song by Raimunda

Volver - Estrella Morente

Tengo miedo del encuentro
Con el pasado que vuelve
A enfrentarse con mi vida

Tengo miedo de la noche
que poblada de recuerdo
Encadenan mi soñar

Pero el viajero que huye
Tarde o temprano
Detiene su azar

Y aunque el olvido
que todo lo destruye
aya matado
A mi vieja ilusión

Cuarto escondida
Y una esperanza humilde
que es toda la fortuna
De mi corazón

Volver...
Con la frente marchita
La nieve del tiempo
La aclaro en mi cien

Sentir...
que es un soplo la vida
que veinte años no es nada
que febril la mirada
herrante entre la sombra
Te busca y te nombra

Vivir...
Con el alma ferrada
A un dulce recuerdo
que yo notare...

De pasión mortal moría

Cereja atrás de cereja, encontrei esta cena do filme "Hable con ella" de Pedro Almodóvar. Na altura que vi no cinema, confesso, chorei.
Lindo!

Hable Con Ella, Caetano Veloso - Cucurrucucu Paloma

Cucurrucucu Paloma - Caetano Veloso

Dicen que por las noches
no más se le iba en puro llorar;
dicen que no comía,
no más se le iba en puro tomar.

Juran que el mismo cielo
se estremecía al oír su llanto,
cómo sufrió por ella,
y hasta en su muerte la fue llamando:

Ay, ay, ay, ay, ay cantaba,
ay, ay, ay, ay, ay gemía,
Ay, ay, ay, ay, ay cantaba,
de pasión mortal moría.

Que una paloma triste
muy de mañana le va a cantar
a la casita sola
con sus puertitas de par en par;

Juran que esa paloma
no es otra cosa más que su alma,
que todavía espera
a que regrese la desdichada.

Cucurrucucú paloma, cucurrucucú no llores.
Las piedras jamás, paloma,
¿qué van a saber de amores?

Cucurrucucú, cucurrucucú,
cucurrucucú, cucurrucucú,
cucurrucucú, paloma, ya no le llores.

Para desentristecer

Adoro esta música, do GRANDE Caetano Veloso:
Caetano Veloso - O Leãozinho - 2002

O Leãozinho - Caetano Veloso

Gosto muito de te ver, Leãozinho
Caminhando sob o sol
Gosto muito de você, Leãozinho

Para desentristecer, Leãozinho
O meu coração tão só
Basta eu encontrar você no caminho

Um filhote de leão, raio da manhã
Arrastando o meu olhar como um ímã
O meu coração é o sol pai de toda a cor
Quando ele lhe doura a pele ao léu

Gosto de te ver ao sol, Leãozinho
De te ver entrar no mar
Tua pele, tua luz, tua juba

Gosto de ficar ao sol, Leãozinho
De molhar minha juba
De estar perto de você e entrar numa

A devida homenagem

Há já algum tempo que procurava algo de Amália, a VOZ de Portugal, para colocar aqui.
Finalmente encontrei algo que me tocou muito e que considerei digno de partilhar - a dificuldade prende-se mais pela escassez de material no Youtube, do que em conseguir apontar algo de bom feito por ela (praticamente tudo, exceptuando-se uns "Caracóis" e umas "Caldeiradas" aqui e ali).
Bem, aqui vai:


Amália Rodrigues, Live in Belgium, "Meu Amor, Meu amor", 1973.

Meu amor, meu amor
Amália Rodrigues (Letra de Ary e música de Alain)

Meu amor meu amor
meu corpo em movimento
minha voz à procura
do seu próprio lamento.

Meu limão de amargura
meu punhal a crescer
nós parámos o tempo
não sabemos morrer
e nascemos nascemos
do nosso entristecer.

Meu amor meu amor
meu pássaro cinzento
a chorar a lonjura
do nosso afastamento.

Meu amor meu amor
meu nó de sofrimento
minha mó de ternura
minha nau de tormento

este mar não tem cura
este céu não tem ar
nós parámos o vento
não sabemos nadar
e morremos morremos
devagar devagar.

quinta-feira, maio 10, 2007

I'm on the road again!

Depois da súbita morte do meu querido VW Polo - paz à sua alma - eis que volta a ficar tudo sobre rodas!
Ok, não é o Peugeot 107 que desejava como presente de aniversário, mas assim já está mais que bom!
É pequenino (requer alguma ginástica para meter o meu metro e oitenta e oito de pessoa lá dentro), velhinho (um Autobianchi Y10 de 1985), mas anda e vai dar-me muito jeito!
Ainda tenho é que me familiarizar com o esquema de abrir-o-ar-quando-está-frio, fechar-o-ar-quando-está-quente... ou é ao contrário? :-s
Obrigado mana pelo empréstimo!

What Pin Up girl are you?

Há testes inúteis para tudo, até um deste género!
Se ficarem curiosos, façam o teste e vejam o vosso resultado aqui.
O meu resultado foi:

You are the Smartie Pants!

You're very intectual and love to read and write...
Its all good...
You'll be successful later on in life!

23788 other people got this result!
This quiz has been taken 281038 times.
9% of people had this result.

As Pin Ups da Rainha do Nada

Rainha do Nada Pinup GirlsAcabadinhas de sair do forno e estão a sair que nem pãezinhos!
Aceitam-se encomendas.
Mais informações aqui.

Eu já tive direito a uma pinup "dedicada" a mim.
É a primeira que aparece nesta foto, com o chapeuzinho de marinheiro :-)

Foi baseada numa colecção de pinup girls que o ilustrador Alberto Vargas (se não estou em erro, ou se a memória não me falha) fez para a Lucky Strike por volta dos anos 40. Esta:

Lucky Strike Pinup GirlsConheci pela primeira vez estas pinup girls num trabalho que fiz, para a cadeira de Ergonomia da Comunicação no 4.º ano de Artes Gráficas em Tomar, sobre a história desta marca de tabaco, onde apresentava a evolução do logotipo e da imagem da marca "Lucky Strike" - na altura a marca de tabaco que fumava.

Motor de ArranqueA história mais engraçada que eu conheço, envolvendo este universo das Pin Ups, é a de um tio-avô meu que tinha sempre um poster com uma "menina" destas na parede do quarto, à frente da cabeceira da cama.
A mulher dele, minha tia-avó, não se importava nada com isso, chamava-lhes o seu (dele) "motor de arranque".
Depois dele ter morrido ela manteve-as por lá na mesma.

Vão lá ver os trabalhos do moço e digam de vossa justiça.
Ah! E se gostarem, façam a vossa encomenda!
(Não, não ganho qualquer comissão, é puro altruismo e simpatia da minha parte!)

quarta-feira, maio 09, 2007

Lisboa

Foto: DR

"E pronto! Caíu a Câmara Municipal de Lisboa." - Rodrigo Guedes de Carvalho (Jornal da Noite, SIC) dixit.

E pronto?
Não havia nexexidade... hum

Fumar

Concordo plenamente:

"Viva a paranóia e o fundamentalismo!!!
Pois é segundo a nova lei do tabaco, ser apanhado a fumar um cigarro num local indevido será punível com uma multa entre 50 e 1000 euros...Já ser apanhado a fumar um charro implica uma multa entre os 25 e os 403 euros. Portanto, quando estiver num sítio onde não se pode fumar, e tiver mesmo de o fazer... o melhor é fumar uma ganza.Mal por mal, paga menos de multa e ainda curte um bocado."


Roubado aqui

Paris

Eis como se mede, pelo jornalismo nacional (reportagem SIC), o grau de intensidade dos distúrbios causados pelos resultados das últimas eleições presidenciais em França:

"...a quantidade de automóveis vandalizados baixou para as 200 viaturas..."

Ainda bem! Começámos com uma média de 400 viaturas por dia (noite?), mas tudo está mais calmo agora, já só se vandalizam 200!!!

Se calhar é porque, talvez, mas só talvez, o parque automóvel parisiense está a ficar siginificativamente reduzido... talvez!

terça-feira, maio 08, 2007

Spam

Já receberam hoje a vossa ração diária de Spam?
Se vocês são daqueles que a maior parte do correio electrónico que recebem é lixo, então compreendem a raiva contida neste post!!!
Todos os dias apago milhentas mensagens de:
  • VIAGRA - ainda não preciso
  • CIALIS - não sei o que é...
  • ANATRIM - idem
  • EXCLUSIVE REPLICA WATCHES - o meu Swatch chega-me!
  • UNIVERSITY DIPLOMAS - tenho e já está pago!
  • PENIS ENLARGEMENT - até à data não houve queixas, ou, o óptimo é inimigo do bom!
  • BREAST ENHANCEMENT - poderei vir a precisar? Nããã!!!
  • LOAN APROVEMENT / REQUEST - já me bastam os meus (menos o do curso, que já está pago!)
  • SOFT TABS - ?!?!?
  • ATTN: SIR/MADAM – um nigeriano que quer mandar dinheiro para a tua conta bancária? Give me a break!
  • AMERICAN/CANADIAN GREEN CARDS - este confesso que já respondi... e ligaram-me dos States... LOL
  • DEAR CUSTOMER / VALUED MENBER - quem?!?
  • ONLINE PHARMACY - no thanks!
  • Etc., etc., etc.

Como menino - quase na casa dos 30 - curioso que sou, andei na net à procura desta coisa do que é o Spam - ou lixo electrónico. Queria saber que mente perversa, chata como a potassa, estaria por tras de tão inútil e odiosa invenção.

Como sempre, a minha querida Wikipedia (chamada de atenção aos disléxicos: não confundir com Wikipeida) deu-me a resposta a tudo, aqui.

O que mais me divertiu foi a explicação etimológica da coisa. E como já disse uma vez, isto é como as cerejas, fui encontrar no Youtube este video dos Monty Python, que deram origem à palavra, segundo parece.

Deliciem-se!


Sabedoria Oriental

WO AI NI


No dialecto mandarim "wo ai ni" quer dizer "amo-te", onde "ai" é "amor".
Em português, "ai" é uma interjeição* que exprime o estado emocional de dor...
Se dessemos mais ouvidos aos nossos amigos orientais talvez conseguíssemos evitar certos estados emocionais.
I rest my case!
*As interjeições são palavras variáveis que exprimem estados emocionais. As interjeições podem ser classificados de acordo com o sentimento que traduzem.

Passamos a vida nisto!

Amores e desamores...

Quadrilha - Carlos Drummond de Andrade

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.

João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou pra tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.

Jesus To A Child - George Michael

I'm going!



Too Funky


Hey, You're Just Too Funky For Me
I gotta get inside of you
And i'll show you heaven if you let me
Hey you just too funky for me
I gotta get inside, (i gotta get inside)
I gotta get inside of you (so when will that be)
I watch your fingers working overtime (overtime)
I got to thinking that they should be mine. Oh!
I'd love to see you naked baby
I'd like to think that sometime maybe
Tonight, if that's all right, yeah!

Hey, you"re just too funky for me
I gotta get inside of you, (won't let you go)
Won't let you, no-no
Hey you just too funky for me
I gotta get inside, (i gotta get inside)
I gotta get inside of you (i'll let you love me)
I watch you drinkin' and i take my time
I watch you drinkin' all that cheap red wine, oh!
I've got to see you naked baby
I'd like to think that sometime maybe
Tonight my goal's in sight, yeah!

Baby, baby, baby why do you do this to me?
Won't let you go, (won't let you go)
You're such a, you're such a
Baby, baby, baby why do you do this to me?
I've got to know. (i've got to know)
(i'm gonna be the kind of lover that you never had)
Hey you're just too funky
(you're never gonna have another lover in your bed)
You're just too funky for me

(would you like me to seduce you, is that what your trying to tell me?)
(everybody wants a lover like that) baby
(everybody wants a lover like that) yeah! Yeah!
(everybody wants a lover like that) everybody, everybody
(everybody wants a lover like that)
(everybody wants a lover, everybody wants a lover like that
Everybody wants a lover, everybody wants a lover like that
Everybody wants a lover, everybody wants a lover like that
Everybody wants a lover, everybody wants a lover like that)
(would you like me to seduce you?)
You're such a, you're such a
(would you like me to seduce you?) Yeah! Yeah!
(would you like me to seduce you?) You're such a, you're such a
Yeah!yeah!

(would you stop playing with that radio of yours, i'm trying to get to sleep!)

segunda-feira, maio 07, 2007

Guess who's going?

Yeah! Yeah!

George Michael pela primeira vez em Portugal
Início de uma digressão europeia a 12 de Maio em Coimbra

O músico britânico George Michael actua no dia 12 de Maio no estádio Cidade de Coimbra, iniciando em Portugal uma digressão europeia que inclui 25 espectáculos em diversos países. Esta é a primeira vez que o artista "pop", acompanhado de oito músicos, canta em Portugal, coincidindo com a comemoração dos 25 anos da sua carreira.
Lusa

domingo, maio 06, 2007

Dia da Mãe

Há 30 anos atrás o Dia da Mãe comemorava-se no último domingo de Maio e não no primeiro como hoje.
Há quase 30 anos atrás, nascia eu, num domingo, o último do mês de Maio de 1977, Dia da Mãe.
Pode existir melhor presente para uma mãe?
Aqui na foto, ela e eu, há quase 30 anos atrás.

Rose is a rose is a rose is a rose*

A imagem de hoje serve para ilustrar duas coisas distintas, mas que falam igualmente de amor.

A primeira, para celebrar o DIA DA MÃE - a minha, linda, com a sua descendência, num post anterior: AQUI.

A segunda, para lembrar um dia passado em que, furtivo, depositaste uma destas à minha porta e eu me deixei encantar...

*Gertrude Stein

sábado, maio 05, 2007

Vejo-me triste, abandonada e só
Bem como um cão sem dono e que o procura,
Mais pobre e desprezada do que Job
A caminhar na via da amargura!

Judeu Errante que a ninguém faz dó!
Minh’alma triste, dolorida e escura,
Minh’alma sem amor é cinza e pó,
Vaga roubada ao Mar da Desventura!

Que tragédia tão funda no meu peito!…
Quanta ilusão morrendo que esvoaça!
Quanto sonho a nascer e já desfeito!

Deus! Como é triste a hora quando morre…
O instante que foge, voa, e passa…
Fiozinho de água triste…a vida corre…

Florbela Espanca - Livro de Sóror Saudade

Sem amor

Chinese sign for LOVEDiz um Conto Chinês:

"Um esposo foi visitar um sábio conselheiro e disse-lhe que já não amava sua esposa e que pensava em separar-se.
O sábio escutou-o, olhou-o nos olhos e disse-lhe apenas uma palavra:
- Ame-a. E logo se calou.
- Mas, já não sinto nada por ela!
- Ame-a, disse-lhe novamente o sábio.
E diante do desconcerto do senhor, depois de um breve silêncio, disse-lhe o seguinte:
- Amar é uma decisão, não só um sentimento; amar é dedicação e entrega. Amar é um verbo e o fruto dessa ação é o amor. O amor é um exercício de jardinagem: arranque o que faz mal, prepare o terreno, semeie, seja paciente, regue e cuide. Esteja preparado porque haverão pragas, secas ou excesso de chuvas mas nem por isso abandone o seu jardim. Ame seu par, ou seja, aceite-o, valorize-o, respeite-o, dê afeto e ternura, admire-o, compreenda-o. Isso é tudo.Ame!"

  • A inteligência sem amor, faz-te perverso.
  • A justiça sem amor, faz-te implacável.
  • A diplomacia sem amor, faz-te hipócrita.
  • O êxito sem amor, faz-te arrogante.
  • A riqueza sem amor, faz-te avaro.
  • A docilidade sem amor, faz-te servil.
  • A pobreza sem amor, faz-te orgulhoso.
  • A beleza sem amor, faz-te ridículo. A autoridade sem amor, faz-te tirano.
  • O trabalho sem amor, faz-te escravo.
  • A simplicidade sem amor, deprecia-te.
  • A oração sem amor, faz-te introvertido.
  • A lei sem amor, escraviza-te.
  • A política sem amor, deixa-te egoísta.
  • A fé sem amor, deixa-te fanático.
  • A vida sem amor... não tem sentido.

Uma das minhas divas


Bem Que Se Quis
by Pino Daniele/versão: Nelson Motta

Bem que se quis
depois de tudo ainda ser feliz
mas já não há caminhos pra voltar.
O que é que a vida fez na nossa vida?
O que é que a gente não faz por amor?

Mas tanto faz,
já me esqueci de te esquecer porque
o teu desejo é meu melhor prazer
e o meu destino é querer sempre mais
a minha estrada corre pro seu mar

Agora vem pra perto vem
vem depressa vem sem fim dentro de mim
que eu quero sentir
o teu corpo pesando sobre o meu
vem meu amor vem pra mim,
me abraça devagar,
me beija e me faz esquecer.

Do meu baú de fotos

Adoro esta foto!
Eu e a Navegante, em Tomar, há 11 anos atrás.
Ambos com mais sonhos, menos anos e menos desilusões...

Os meus homens

Sou um tio babado, confesso!

quinta-feira, maio 03, 2007

Atrás de um Peter Pan há sempre...

... uma Wendy, neste caso, eu!
Passo a explicar, andava nas minhas pesquisas à procura de temas/desenhos para os meus alunos, cheguei até ao Peter Pan e a partir dele descobri este texto na Wikipedia:

"(...)A Síndrome de Peter Pan tornou-se um termo psiquiátrico usado para descrever um adulto que receia os comprometimentos e/ou se recusa a agir conforme a sua idade(...)"

A coisa interessou-me, pelo óbvio.... e continuei a pesquisar por aqui.
Isto das pesquisas na net acabam por ser como as cerejas...
Pesquisa puxa pesquisa e acabo por encontrar um texto que me deu algumas explicações sobre a minha maneira de ser:
O Síndrome de Wendy (transtorno baseado na necessidade de satisfazer o próximo)

Há já algum tempo que chego a esta conclusão: um dos factores que condiciona bastante o meu comportamento é o medo do abandono, do sentimento de rejeição - medo esse que vem, muito provavelmente, do meu historial de infância/adolescência.
Depois, para evitar essas situações de rejeição/abandono, anulo-me em função da aprovação pelo outro, vivo em função do outro, completamente dependente...
Cada vez mais chego à conclusão que sou bem capaz de estar a precisar de uma ajudazinha psicológica para resolver algumas coisas que andam para aqui mal resolvidas na minha cabeça.
Adiante!
Os pontos mais relevantes do texto que encontrei, e que me levam a identificar-me com o que nele está, são:

"(...) A conduta de qualquer ‘Wendy' está baseada no medo à rejeição pessoal, no complexo de inferioridade e o impulso por agradar a todos. (...)"
"(...)Os comportamentos mais significativos de uma pessoa que sofre deste síndrome, são os seguintes:
-
Sentir-se imprescindível
- Entender que o amor é sacrifício e resignação
- Evitar a todo custo que alguém se aborreça
- Tentar continuamente fazer feliz o casal
- Insistir em fazer as coisas pela outra pessoa
- Pedir desculpa por tudo aquilo que não tem feito ou que não tem sabido fazer
- Necessidade imperiosa de cuidar dos outros(...)"

Para ultrapassar a coisa, diz ainda o texto, há que:

"(...)- Estabelecer relações equitativas com as pessoas: escutar de forma activa os problemas dos outros, mas sem se sentir obrigado a resolvê-los.
- Aumentar a auto-estima pessoal.
- Acostumar-se a dizer NÃO.
- Aprender a amadurecer, a pensar que cada um é responsável pela sua vida.
- Não assumir os deveres e responsabilidades do outro.
- Ser consciente que as mudanças de hábitos são lentas, não se produzem da noite para o dia.(...)"

E assim termino hoje o meu consultório de auto-análise / confessionário psicológico.
Bem hajam por terem paciência para "me" lerem!
(Vêem!?! Aqui está a prova da minha constante necessidade de aceitação e de agrado ao próximo)

quarta-feira, maio 02, 2007

Il pleut

La nuit s'est compatie avec mon coeur
et pleure avec lui...

terça-feira, maio 01, 2007

Rainha do Nada

Desespero de Ariadne
Maldita sou porque te conheci,
O fogo falso de teus olhos vi,
Teu corpo esplêndido contemplei.
Quis-te meu senhor, meu rei
E sou agora rainha de nada.
Cada hora me dói,
Cada minuto choro desesperada
O desperdício de tudo o que não foi.


Bem-vindo ao mundo da blogoesfera.

Mais uma voz daquelas!

Descobria-a hoje, no VH1...
Tinha a TV como som ambiente (ainda não liguei a aparelhagem desde que me mudei) e de repente ouvi uma voz que me fez tirar os olhos do écran do computador e olhar para o écran da televisão.
Primeira surpresa: é uma branca?
Vai daí, fiquei à espera do fim do videoclip para ver o nome, depois google e depois ... enfim... apreciem!



Ah, é verdade! Chama-se Amy Winehouse e já tem dois albuns cá fora:

  • Back To Black (2006)
  • Frank (2003)

Deixo-vos a letra deste videoclip.

Love Is A Losing Game
Amy Winehouse

For you I was a flame
Love is a losing game
Five story fire as you came
Love is a losing game

Why do I wish I never played
Oh what a mess we made
And now the final frame
Love is a losing game

Played out by the band
Love is a losing hand
More than I could stand
Love is a losing hand

Self professed... profound
Till the chips were down
...know you’re a gambling man
Love is a losing hand

Though I’m rather blind
Love is a fate resigned
Memories mar my mind
Love is a fate resigned

Over futile odds
And laughed at by the gods
And now the final frame
Love is a losing game

Sentimento generalizado do dia (V)

Qual é coisa, qual é ela?
Pequenino, em chamas e apertado?

Annie

Há, de tempos a tempos, músicas que nos voltam...