domingo, fevereiro 24, 2008

Almoço de Domingo

Tradicionalmente os Domingos são dias de família, almoçaradas que levam horas, bons repastos, o tempo é mais lento e propício a este tipo de convívio pré ínicio da semana de trabalho que começa no dia seguinte. Esta é a ideia que tenho dos domingos: comidinha caseira feita pela mãe, toda a família junta à volta da mesa e, a seguir ao almoço, o resto da tarde passada no sofá, depois do café e do cigarro (que já não fumo).
Actualmente estes momentos familiares são cada vez mais escassos mas hoje foi excepção. Fui almoçar a casa da minha mãe, a convite dela e não a pedido meu. De vez em quando peço-lhe um almoço com 'comida à mãe', quando sinto saudades de um cozido, umas favas, um fricassé, uma feijoada, uma cabidela e por aí fora, mas desta vez não foi o caso. Adoro a comida que ela faz, como aliás deve acontecer com a maioria dos filhos. Estes momentos são ainda mais preciosos porque são cada vez mais raros - há muitos anos que a minha mãe deixou de fazer comida com gosto, pelo menos estas iguarias (não me refiro ao diário bife com batatas fritas, arroz e ovo estrelado). E ela é uma óptima cozinheira, precisa é de estar para aí virada ou inspirada...e hoje foi o caso!
As imagens deste post foram captadas por ela, que quis guardar o momento para a posteridade, ilustram a ementa que constou de uma feijoada de coelho como prato principal e como sobremesa um pudim de ovos. Melhor que isto só mesmo o seu já lendário e divinal arroz doce - solicitação obrigatória em qualquer evento familiar em que ela esteja presente.
Pena que à mesa não tenha estado mais gente. Presentes só eu, ela e o meu sobrinho que preteriu a esplêndida feijoada pelo diário bife com arroz - como é criança, todos sabemos como nessas idades somos mais avessos a estas comidas, entende-se.
Para ter sido perfeito para a minha mãe, sei que era ter a filharada toda reunida à mesa, coisa rara nos dias de hoje e que só acontece no Natal e nos aniversários. C'est la vie!
Deixo aqui, mais uma vez, o meu muito obrigado pelo excelente almoço de Domingo minha querida mãe melga (como lhe chamo). Venham mais destes :-)

6 comentários:

Piraboy disse...

Lembrei da minha mãe agora. Eu almoçava com os "velhos" todos os domingos. Mas era todo o domingo mesmo! Era raríssimo um domingo que falhasse. E ela lá, me esperando com aquele sorriso e carinho de sempre. So, mon ami, enjoy every moment you spend with your mother (vc naum mencionou seu pai). Comida de mãe é especial, única. Assim como o amor. I miss her a lot. Aff :(

Em tempo, manda a receita do pudim. Tá com uma cara ótima!

Graphic_Diary disse...

Ela passa o tempo a dizer-me isso, desde que perdeu a mãe dela, minha avó. Parece que o tempo nunca é o suficiente e quando as pessoas se vão, já é tarde demais. Por isso, aproveito sempre que posso e que tenha disponibilidade para passar com ela momentos de qualidade, não de quantidade.
Não mencionei o pai porque não há o que mencionar, há mais de 24 anos.
Até podia mandar a receita, é bem fácil. Mas ela não deixa! eh eh eh

pinguim disse...

Que saudades da comida da minha Mãe, agora com 85 anos, e só cozinha o trivial; há uma excepção, continua a fazer a melhor mousse de chocolate do mundo!
Abraço para ti e um beijinho a tua Mãe.

Graphic_Diary disse...

Quem dera que a minha chegue a essa idade. O meu avô, pai dela, já vai nos 88 por isso, ela só tem de seguir o exemplo.
Não há nada melhor no mundo que esse tipo de lembranças, como a comida saborosa da mãe. Seja ela um fricassé, uma arroz doce ou uma mousse de chocolate. :-)
Agradeço e retribuo o abraço e o beijinho.

senhoradosado disse...

Ol� querido filho
Li agora os coment�rios, referente �s m�es, e comidas cozinhadas pelas ditas,tamb�m eu tenho desde h� longos anos (18) cada vez mais tenho saudades da minha m�e, do seu amor por mim, de tudo o que de bom ela sempre fez por mim, na vida dela, de tudo o que cozinhava, s� quando as perdemos � que sabemos dar valor, ao quanto elas nos amam, e nos fazem muita falta nas nossas vidas, sempre,n�o ouvir mais a minha m�e chamar-me de Nela, com aquela entoa�o de carinho, e amor de m�e, amar-me mais que tudo, como s� as m�es sabem amar, estar sempre disponivel para me ajudar, sentir-me sempre a menina dela,a minha m�e era uma grande MULHER(1,55)s� eu sei porque digo isto,mas era mesmo grande MULHER, mas voltando aos cozinhados, como era cozinheira(aprendeu s�zinha,tal como eu)cozinhava todos os pratos,bolos,doces,geleias,at� licores fazia, tudo ela fazia com total perfei�o,nunca lhe cheguei aos calcanhares!!!
Tu que �s um dos meus queridos seis filhos, um dia vais sentir, que o que aqui digo � verdadinha.
Entretanto enquanto permane�o neste mundo, com algumas faculdades, de vez em quando fa�o uns pratos especias para vos convidar, quando tiveres saudades de algum prato,basta pedires,porque eu esque�o-me das prefer�ncias de cada um de vo�s!
Tamb�m sei fazer (quase tudo na cozinha)o que gosto menos � da parte de arrumar a dita,e n�o s�!!!
Mas isso � outra conversa ;)
Quanto ao seguir o exemplo do meu pai, vou tentando fazer por isso, mas ele � de outra fabrica (espanhola)eu sou talvez da f�brica da minha querida m�e(mais fr�gil)mesmo assim aguentou-se (mal) at� aos setenta e dois anos, vamos v�r a quem eu saio!
Depois deste testamento, s� te quero deixar os votos de um bom dia,um bom fim de semana,muitos beijinhos com muito amor para ti, e agrade�o e retribuo o beijo ao Pinguim
Tua
MELGA ;)

pinguim disse...

Que maravilha, minha Senhora, o seu agradecimento; eu é que estou agradecido pelo seu comentário e deixe-me dar os parabéns ao seu filho, não só por saber enaltecê-la, como e mais que tudo pela Mãe que tem.