sexta-feira, junho 20, 2008

Acordemos, pois então!

Pronto, acabou! Já podem acordar... Auf Wiedersehen, minha linda!
Agora é voltar ao país real, ao país dos lockouts ilegais; dos combustíveis a preços altos; das greves; das injustiças; da corrupção em todos os níveis da sociedade; da constante falta de civismo; dos políticos da treta; dos iates a pagarem combustíveis a €0,80/litro; das obras gigantescas e caras para aeroportos e tgvs num Estado que pede cada vez mais sacrifícios aos contribuintes; das agressões aos professores (não só por parte dos alunos, mas do Ministério da Educação também); do nível de vida cada vez mais caro e ordenados cada vez mais baixos; dos boicotes ridículos às gasolineiras; de quase meio milhão de desempregados (sendo que cerca de 56 mil dessas pessoas possuem habilitações académicas de nível superior); a lista podia continuar, mas penso que já deu para perceberem o meu ponto de vista.
Chato, chato, mas mesmo chato, vai ser para o PM Sócrates que viu as suas "férias" encurtadas e vai ter de lidar novamente com o descontentamento ainda maior de todo um país deprimido, insatisfeito e cada vez mais indignado com a sua situação.
Vá, tudo a ir para casa bater na mulher... Portugal está fora do Euro 2008!

3 comentários:

pinguim disse...

Cáustico, mas correcto...

Graphic_Diary disse...

Sentia-me assim, cáustico... mas não se pense que falo só contra o futebol. É Euro2008, é RockInRio, é Expo de Zaragoza, é Jogos Olímpicos de Pequim, é Madonna em Setembro, é tudo o que nos distrai do essencial e realmente importante para uma ideia de um Portugal melhor.
Mas no futebol a movimentação de massas é substancialmente superior e mais criticável no sentido em que, como li algures, se nos empenhássemos na causa de Portugal como o fazemos só para o apoio à selecção de futebol, talvez estivéssemos um pouco melhor... não sei, estarei errado?

Paulo disse...

ah, pois, acabou o adormecimento nacional, a droga do povo. o governo que se ponha a pau. e viva realidade. acho que o calor ajuda ao adormecimento e a perspectiva de férias também (para quem tem hipótese delas, claro).