sexta-feira, junho 27, 2008

Bom Crioulo


Derrick Cross 1962 by Robert Mapplethorpe

Acabei de o lêr ontem. Só agora coube o tempo para dele falar, entre uma caixa e outra por arrumar. Entre outras coisas, diz-se dele: 'o primeiro romance em língua portuguesa centrado no tema da homossexualidade'. Falo da obra de Adolfo Caminha, O Bom Crioulo (podem descarregar uma versão on-line e gratuita aqui), trabalho escrito há mais de 100 anos no Brasil e que só este ano teve direito a edição portuguesa pela Palimpsesto... já diz o ditado e com razão, mais vale tarde...
O exemplar que acabei de ler foi-me oferecido pelo Pardinho do costume, fruto de uma solicitação minha aquando da nossa única incursão em conjunto à Feira do Livro de Lisboa deste ano. No dia seguinte coube o resgate, através da operação Rasputine.
Gostei e recomendo a leitura, mas mais e melhor do que eu jamais faria, já o disseram antes Eduardo Pitta aqui e o Maurice ali primeiro e depois acoli, textos aliás que me deram a conhecer este livro e que assim despertaram a minha vontade para conhecer a obra.

Adenda motivada pelo comment do Pardinho 
Apesar de escusar de agradecer, aqui vai: 
OBRIGADO! E obrigado também pela dedicatória, quase indecifrável, que ofereceste com o livro.

4 comentários:

aunidadeimpropria disse...

O Eremita diz que «Escusas de agradecer», ainda por cima publicamente. Que embaraço...
Sempre,
A.
(«a Famiglia não se escolhe», dizia um amigo meu...)
P.s. - Só aqui, que ninguém nos ouve: Quando é que largas a bebedeira e vens tomar um copo, dizia outro amigo. E este, pelo menos, tinha toda a razão. Aqui em casa, na novíssima Casa de Santo António, tens um espaço à tua espera, sempre e quando quiseres...

Paulo disse...

:), já devia ter escrito sobre este romance... o tempo foi passando, passando... é excelente, o primeiro em língua portuguesa sobre o tema (é anterior ao Barão de Lavos) e tem aspectos actualíssimos sobretudo na análise psicológica. é realmente recomendável.

abraços e bom fim-de-semana!

Paulo disse...

rapaz, tenho um desafio no FJ, please, take it. não, não é um vingança por me teres ajudado!

abraço!

aunidadeimpropria disse...

Também assim de repente não me lembro do que escrevi, mas de certeza que era bom.
& sobretudo não te esqueças:

O Eremita diz que «Escusas de agradecer», ainda por cima publicamente. Que embaraço...
Sempre,
A.
(«a Famiglia não se escolhe», dizia um amigo meu...)
P.s. - Só aqui, que ninguém nos ouve: Quando é que largas a bebedeira e vens tomar um copo, dizia outro amigo. E este, pelo menos, tinha toda a razão. Aqui em casa, na novíssima Casa de Santo António, tens um espaço à tua espera, sempre e quando quiseres...

Have a Great Day!
AMO-TE.