domingo, junho 08, 2008

Catch me if you can

Como mencionei no meu último post, tenho andado arredado destas lides. O mês de Maio passou, foram acontecendo algumas coisas dignas de registo, mas que aqui não registei. No mínimo é estranho uma vez que, entre outras coisas, é neste mês que comemoro o meu aniversário e se formos ver a quantidade de posts que escrevi o ano passado por esta altura apercebemo-nos ainda mais a estranheza da coisa.
Vou pensando ‘logo escrevo, mais tarde, daqui a pouco, amanhã’ e a verdade é que o tempo vai passando e não deixo registo de nada. Torna-se tarde, já passou tempo demais para fazer referência, para contar, deixa de fazer sentido estar a escrever sobre coisas requentadas e fora de prazo. Já nem vou referir exaustivamente as crises existenciais do costume, ‘estou a escrever para quem?’, ‘é tudo uma parvoíce!’, ‘a quem poderá interessar isto?’, ‘que presunção é essa a minha de pensar que os outros estão interessados em saber a minha vida?’, que me afastam ainda mais daqui. Depois também penso ‘escrevo, em última análise, para mim!’, mas nem chego ao pé do computador, estou cansado, logo no fim de semana pego nisto com mais calma. E assim se deixa passar mais de um mês sem escrever quase nada por aqui.
Exceptuou-se este post porque vim emocionadíssimo do cinema e não tinha com quem partilhar o que tirei dessa experiência, logo, descarreguei aqui – para quê é que serve um blog, em última análise, senão para descarregarmos/partilharmos as nossas emoções/sentimentos quando não há mais ninguém?
Tinha em mente, há já algum tempo, escrever um post sumário, organizado por datas/momentos importantes com o que de maior relevância ocorreu em Maio. Mas depois este caramelo fez esta coisa e eu nem me atrevi sequer voltar a pensar no assunto com receio de me apontarem como plagiador... não foi esse o principal motivo, obviamente, mas a idéia que tinha perdeu todo o sentido pela falta de originalidade e pela proximidade bloguística. Ainda assim, há a retirar um bom sinal desta coincidência, qualquer coisa do género “great minds think alike!” - não desfazendo o menino Paulo. eh eh eh

Posto isto e esquecendo tudo o que acabei de escrever, aqui vai o breviário das minhas últimas semanas:

Primeira semana de Maio
Passou por Setúbal o meu sobrinho mais velho (com 27 anos, filho do meu Pardinho, vive em Hamburgo e é o responsável por me ter tornado no tio-avô mais novo, e mais sexy também, da minha rua...). Está bonito, o ‘puto’, continua sempre muito querido e carinhoso para com esta família que já conheceu tarde. Projecta vir viver de vez para Portugal, não sei se o conseguirá. Saímos com ele numa noitada valente, eu e duas das minhas manas, onde ainda fomos encontrar este outro sobrinho. Foi a loucura, tio, tias e sobrinhos tudo muito bem disposto, alcoolicamente bem disposto…
A semana acabou com o aniversário do X, num restaurante paquistanês (bom) em Lisboa, depois de anulada a opção inicial no Chapitô por iluminada sugestão, penso que, destes rapazes... ou terá sido deste? Foi uma excelente oportunidade para rever o X e o F, para conhecer finalmente o e o Paulo na carne e no osso (apesar do Zé não gostar de carne com osso), assim como também o afável Pinguim. Conheci também a S, apesar de não ter falado muito com ela, pois não nos sentámos perto, pareceu-me ser simpática. Eu estava um pouco em baixo, não privei muito com os presentes, mas esforcei-me para esquecer os meus problemas e estar ali a desfrutar daquele momento!

Segunda semana de Maio
Nada de especial interesse a declarar. Viagens diárias entre Setúbal - Lisboa e depois de novo, ao final do dia, Lisboa - Setúbal. Lado positivo desta seca a que já não estava habituado: tem sido uma excelente oportunidade para meter as minhas leituras em dia. Muito leio eu no trajecto de autocarro e do metro, tenho lido mais livros este mês que nos últimos três anos, sem exagero!

Terceira semana de Maio
Fui com a minha mãe, mais dois sobrinhos e uma mana, no feriado de Corpus Christi, visitar a exposição “Dinossáurios - Encontro de Gigantes” no outlet Freeport de Alcochete – pobre, pequena, fraca, muito má, comparativamente com a que esteve há uns anos atrás no Zoo de Lisboa, mas faz a delícia dos mais pequenos e é o que se pretende. Antes de irmos para a exposição almoçámos num restaurante no Freeport onde, estava capaz de apostar o brasão da minha família (se ainda o houvesse!), os dois únicos empregados de mesa, pelos indícios de intimidade em pequenos gestos e também pela constante ruptura daquele espaço de distância de segurança que costumamos criar e manter face ao outro, e que entre eles era constantemente partilhado, eram quase de certeza namorados. Achei toda a situação, entre eles e a minha observação dissimulada, um mimo!

Quarta semana de Maio
Consulta de oftalmologia no Hospital de Setúbal ao fim de 6 meses de espera, depois da inscrição ainda mais duas horas e meia até ser chamado para depois ser visto em 10 minutos, se tanto, no gabinete de um médico que atendia 3 pessoas ao mesmo tempo – está tudo bem com a minha vista, o cansaço é devido ao muito tempo passado em frente ao computador e o estar sempre com os óculos, há que fazer pausas de ambas as situações.
Na véspera do meu aniversário vou jantar com a cara-metade. Tudo planeado por ele (aqui), vamos até Alfama ao restaurante “Mesa de Frades” onde canta a Carmo Rebelo de Andrade, vulgo, Carminho. Foi uma noite fantástica! Da experiência, está tudo dito aqui que subscrevo na íntegra. Gostei muito!
Dia 29 chego finalmente ao dia do meu 31.º aniversário. Dia normal, trabalho, com a benesse de ir um pouco mais cedo para casa. Aproveito vou descansar um pouco pois no final do dia tenho uma casa cheia de família, velas para soprar e bolo para partir, patrocinado pelas duas manas mais velhas. A mana caçula ofereceu-me a colecção completa de dvd’s da minha saga de ficção científica favorita – “Alien” (com os extras da saga “Predador”), levei um ano para consegui-la! Quanto a mim, ofereci-me este livro há muito fisgado e encomendado no site da maravilhosa e sempre surpreendente TASCHEN que, só pela originalidade fantástica da capa (não dá para reproduzir aqui), já valeu a pena a compra! Recebi também alguns e-mails, sms e telefonemas dos amigos do costume. Não contava e surpreendi-me com a chamada destes queridos que, no meio dos seus milhentos afazeres, arranjaram tempo para ligar a dar-me os parabéns. Volto a agradecer-vos aqui o vosso gesto bonito e carinhoso!
Com a semana a chegar ao fim, sábado de manhã acordo cedo para ir, obviamente, comprar os bilhetes para o concerto da Sticky & Sweet Madonna. Vinte minutos depois de esperar na fila da Bliss, já cá tinha os meus seis bilhetes. Estava à espera de uma maior afluência nas bilheteiras e fui preparado psicologicamente para uma seca na fila, mas safei-me, talvez pelo sítio onde fui (Fórum Montijo) ou pela hora a que fui.
No final do dia ainda fui com o meu moço até Aires, ajudá-lo a finalizar os últimos pormenores deste seu último projecto pois no domingo seguinte, dia mundial da criança, seria a abertura oficial deste novo espaço da Câmara Municipal de Palmela.

Primeira semana de Junho
Início da semana com um passeio pela Feira do Livro de Lisboa, na companhia do Pardinho que me oferece “O Livro do Pénis” pela piada, e “O Economista Natural” para ver se eu ainda aprendo alguma coisa. Passo a correr pelos barracões das editoras e vejo tudo num ápice - entro em stress por não conseguir ver as coisas como quero, depois disparo a mil à hora para despachar a coisa e acabo por não ver nada com esta minha impaciência. Ia eu já nos famosos pavilhões da Leya quando o meu companheiro de feira ainda ia no outro lado, bem no início, na 4.ª ou 5.ª editora... voltei atrás para ir ter com ele e acabei por não ver a feira até ao fim.
No dia a seguir, consulta com a médica família para mostrar exames de rotina (electrocardiograma e análises) – tudo óptimo comigo, ‘vê se deixas de ser hipocondríaco!’
Meio da semana com o aniversário da mana mais velha, espécie de minha segunda mãe, com a família toda no restaurante. Para quem tinha um diagnóstico de poucos anos de vida pouco depois de nascer, já vai com uma vantagem do caraças!
A semana dá-se por terminada com este ponto alto, já merecedor de um post.

6 comentários:

Mimulus disse...

Olá, amiguinho! 30 não é nada, é o que chamo virar o Cabo da Boa Esperança.
Eu, como estou próxima dos 40 [não digo quão próxima, vc sabe...rs] acho 30 muito, muito jovem.
Mas a juventude está primeiro dentro de nós. Encontro pessoas com menos de 30 que já são mais velhas que eu. E eu fico feliz de ouvir muitas e muitas vezes que não aparento a idade. Tenho certeza de que isso é muito mais da atitude que da aparência. Quanto aos relatos, acho importante vc escrever sim, já que este é seu diário. Assim, isso não se perde e vc poderá olhar e lembrar-se daqui alguns anos. Não importa quem leia. São seus relatos. Bom, esse comment já tá virando um post né...desculpe, me empolguei. Abraços!

António Rosa disse...

Não o conheço, pas posso desejar-lhe na mesma parabéns pelos seu aniversário?. Vim parar nem sei como ao seu blogue. Parabéns gemeniano. É a vida a seguir. Estou do lado de lá dos 30 + quase 30.

Graphic_Diary disse...

#Querida Mimulus
É boa a analogia, se passar dod 30
é virar o Cabo da boa Esperança, é sinal que a partir de agora a coisa só pode melhorar. Até aqui foram as Tormentas (nome desse cabo antes dos portugueses o terem passado), vamos ver!
Quanto à idade interna, sempre achei que era um novo muito velho...pode ser que agora comece a virar um velho muito novo, quem sabe?
Beijo grande

#Caro António,
Um grande "Bem Vindo" a este meu espacinho e pode(s), em primeiro lugar, tratar-me por tu, se não houver inconveniente... depois, em segundo, agradeço os parabéns!
Volte(a) sempre e um abraço aqui do gemeniano

pinguim disse...

Amigo Graphic
pois é uma boa ideia, quando o tempo escasseia e a vontade nem sempre aparece, de fazer um resumo do que mais importante foi acontecendo; sucede que uma das coisas que focas no teu texto, é o aniversário do X, em que tivémos finalmente a oportunidade de nos conhecermos, o que foi um grande prazer; espero que um dia possamos conviver mais um pouco. Um beijinho à Senhora do Sado e abraços para vocês dois.

Graphic_Diary disse...

Amigo Pinguim :)
Foi igualmente um grande prazer poder conhecer-te finalmente ao vivo e a cores, privar da tua boa disposição e energia positiva.
Agora vou distribuir os teus cumprimentos a quem de direito.
Só uma pergunta:
O que andas aqui a fazer na blogoesfera? Vai namorar que o tempo urge!!! eh eh eh
Um forte abraço para vocês dois também e boa continuação de férias

Paulo disse...

Este post-saga-sumário é bem ao meu estilo :)