segunda-feira, junho 30, 2008

Room with a view

Ainda não chegaram, devo ir fazer a mudança de noite... que seca!
Dá-me tempo de olhar ainda e uma vez mais para a vista que tenho da janela do meu quarto e que tão poucas vezes perdi tempo em contemplações... enfim, não é lá grande coisa, mas também há piores - ou como dizem os amaricanos, up yours.

All aboard

Estamos prontos para as hostilidades de hoje: levar as coisas que não me fazem falta no dia-a-dia para a arrecadação da casa da mana (27 caixas) e o resto segue para o novo espaço a habitar durante a próxima temporada (8 caixas).
Neste momento estou ainda na minha casa e a contemplar o muro de caixas que está à minha frente (gosto do padrão que fazem no seu conjunto) e à espera que cheguem os rapazes das mudanças. respiro fundo e continuo a forçar a ladaínha na minha cabeça: keep it simple! Keep it simple! Keep it simple!
Contabilidade final: 35 caixas de tralha acumulada ao longo dos meus últimos anos de vida. Quase todos elas carregadas com livros, cd's de música e dvd's dos meus filmes favoritos, o que faz com que estejam assim um pouco para o pesadotas mas, quanto a isso, não posso fazer nada...
Quem diz que o saber não ocupa lugar está muito enganado, não só ocupa lugar como também ocupa muito espaço e peso! Ui, e se pesam! Que me perdoem os rapazes que vão acartar com elas, mas que culpa tenho eu do peso da cultura?

sábado, junho 28, 2008

Uma semana depois

Já se passou uma semana desde que comecei isto e ainda está quase tudo por encaixotar, ainda que as estantes, prateleiras e paredes aqui de casa já estão vazias, é uma visão estranha...
As coisas entre a famelga acabaram por correr de outra maneira totalmente diferente que não (?) se esperavam e, de momento, já não irei morar para Lisboa. Não vou referir nem relatar o triste episódio, fica apenas o registo desta nota para memória futura.
Assim sendo, fico-me por Setúbal, numa (re)nova experiência na casa do mais que tudo. Vamos ver como corre a coisa desta vez!
Voltemos então à vida em caixas que, até à mudança na próxima segunda-feira, há ainda muito que fazer. Rico fim de semana...

sexta-feira, junho 27, 2008

Bom Crioulo


Derrick Cross 1962 by Robert Mapplethorpe

Acabei de o lêr ontem. Só agora coube o tempo para dele falar, entre uma caixa e outra por arrumar. Entre outras coisas, diz-se dele: 'o primeiro romance em língua portuguesa centrado no tema da homossexualidade'. Falo da obra de Adolfo Caminha, O Bom Crioulo (podem descarregar uma versão on-line e gratuita aqui), trabalho escrito há mais de 100 anos no Brasil e que só este ano teve direito a edição portuguesa pela Palimpsesto... já diz o ditado e com razão, mais vale tarde...
O exemplar que acabei de ler foi-me oferecido pelo Pardinho do costume, fruto de uma solicitação minha aquando da nossa única incursão em conjunto à Feira do Livro de Lisboa deste ano. No dia seguinte coube o resgate, através da operação Rasputine.
Gostei e recomendo a leitura, mas mais e melhor do que eu jamais faria, já o disseram antes Eduardo Pitta aqui e o Maurice ali primeiro e depois acoli, textos aliás que me deram a conhecer este livro e que assim despertaram a minha vontade para conhecer a obra.

Adenda motivada pelo comment do Pardinho 
Apesar de escusar de agradecer, aqui vai: 
OBRIGADO! E obrigado também pela dedicatória, quase indecifrável, que ofereceste com o livro.

Obviously

Depois dos emails fantásticos que fui recebendo hoje ao longo do dia só me ocorre dizer:
"No worries, obviously I will survive!"

quinta-feira, junho 26, 2008

Day 177

Atentem à excelente campanha anti-tabágica para a ADESF, feita pela agência NeogamaBBH (Brasil). Acabadinhos de ver no site Ads Of the World. Aqui deixo os links para os 3 cartazes:

Por aqui vamos no dia 177 sem um cigarrito no corpo.

terça-feira, junho 24, 2008

Anyone for a beer?

Do sítio do costume, hoje dizem-me para largar tudo da parte da tarde e ir beber umas bujecas com os amigos, vizinhos ou família. A imagem é por isso uma boa sugestão ao que poderia estar a fazer de tarde, em vez de estar aqui fechado. Mas leiam lá, para verem que não estou a mentir:

Your Horoscope for JUNE 24, 2008
You could be optimistic about getting lots of chores done today, but you could have some interruptions throughout the day. These should be positive encounters with friends, neighbors, or extended family. Instead of being too focused on tasks, it might be nicer to socialize a bit. It could be a good afternoon for a beer and some light conversation. After all, that laundry will be waiting for you another day

Se eu disser ao meu newlyboss que hoje vou sair mais cedo porque o meu horóscopo assim o aconselha, parece-vos que ele deixa?

ADENDA [14:58]
Nem a propósito, acabo de reparar que o citador de hoje brinda-me com a seguinte frase:
"Quanto maior é a sede, maior é o prazer em satisfazê-la", da autoria do querídissimo do Pardinho, o tão na moda Dante Alighieri. Bora lá então satisfazer essa sede*?

*de cerveja, de amigos, de amor, de sexo, de tesão, de viver, de tudo!

segunda-feira, junho 23, 2008

A mi me gusta los Palíndromos*

Obrigado pelas vossas 14041 visitas!
*Info aqui.

domingo, junho 22, 2008

Mudanças

Da minha mais recente visitante do lado de lá do Atlântico sai este post que ilustra, em parte e muito bem, esta estranha e nova fase da minha vida.
Obrigado pela visita e pelas palavras.

sábado, junho 21, 2008

CAOS

Ainda há pouco comecei e já me apetece fugir daqui para fora, ou dar com a cabeça na parede até se ver o reboco... porque é que vamos acumulando tantos pesos ao longo da vida?
Keep it simple! Keep it simple! Keep it simple! Keep it simple! Keep it simple! Keep it simple!
STUPID!

O maior dia do ano

Verão, de Giuseppe Arcimboldo (1573), Louvre

Obviamente que, por oposição a este post, não poderia deixar de escrever este de hoje.
Para os mais distraídos hoje acontece o primeiro solstício do ano, dando início à estação do Verão e fazendo com que, no Hemisfério Norte, este seja o dia do ano com mais horas de Sol.
De hoje em diante os dias começam a ser cada vez mais curtos em exposição solar, ainda assim há que aproveitar bem a estação de todos os calores!
Para mim afigura-se ser, sem qualquer dúvida, um dia bem comprido, daqueles bem horríveis que, por mais que queiramos avançar nas horas, parecem nunca mais acabar...
Arrumemos pois mais caixotes!

Mais uma volta...

...mais uma viagem!
Pois é, usando a deixa dos tipos dos carrósseis das feiras (tão em voga nesta altura do ano pelas aldeias e cidades deste Portugal), as nossas vidas realmente dão muitas voltas. Umas mais que outras, a minha, muitas! Parece que comprei uns vinte bilhetes e nunca mais saio do raio do carrossel...
Ao fim de mais de ano e meio sossegado na minha nova e remodeladíssima casa (agora reparo que nunca fiz um post sobre o processo de transformação fantástico que ela sofreu e que saiu, na sua maioria, totalmente da minha linda cabecinha), começo hoje a preparar o meu inevitável(?) êxodo para Lisboa... melhor é não pensar muito sobre o assunto, ligar o modo robot e começar a encaixotar as coisas... Keep it simple! Keep it simple! Keep it simple!
Comecemos então as hostilidades que o tempo urge e tenho de ter tudo pronto numa semana.

sexta-feira, junho 20, 2008

Acordemos, pois então!

Pronto, acabou! Já podem acordar... Auf Wiedersehen, minha linda!
Agora é voltar ao país real, ao país dos lockouts ilegais; dos combustíveis a preços altos; das greves; das injustiças; da corrupção em todos os níveis da sociedade; da constante falta de civismo; dos políticos da treta; dos iates a pagarem combustíveis a €0,80/litro; das obras gigantescas e caras para aeroportos e tgvs num Estado que pede cada vez mais sacrifícios aos contribuintes; das agressões aos professores (não só por parte dos alunos, mas do Ministério da Educação também); do nível de vida cada vez mais caro e ordenados cada vez mais baixos; dos boicotes ridículos às gasolineiras; de quase meio milhão de desempregados (sendo que cerca de 56 mil dessas pessoas possuem habilitações académicas de nível superior); a lista podia continuar, mas penso que já deu para perceberem o meu ponto de vista.
Chato, chato, mas mesmo chato, vai ser para o PM Sócrates que viu as suas "férias" encurtadas e vai ter de lidar novamente com o descontentamento ainda maior de todo um país deprimido, insatisfeito e cada vez mais indignado com a sua situação.
Vá, tudo a ir para casa bater na mulher... Portugal está fora do Euro 2008!

quinta-feira, junho 19, 2008

Day 170

Hoje de manhã, no café, calhou-me este:
Um dia? Esse dia já chegou!

"Bastam 20 minutos sem fumar para que a tensão arterial desça, mas são precisas pelo menos 24 horas sem tabaco para que o risco de enfarte diminua, revelam dados da Sociedade Portuguesa de Pneumologia. Para sentir uma diminuição na tosse e no cansaço, quem deixa de fumar tem de esperar entre um e nove meses e um pouco mais, cerca de 12 meses, para reduzir para metade o risco de contrair doença coronária. No entanto, só 10 a 15 anos depois é que o risco de ter doenças do coração fica igual ao de um não fumador. Para reduzir para um terço o risco de enfarte e de morte é necessário passar um ano e esse risco só fica equivalente a um não fumador após três ou quatro anos. Para se alcançar uma diminuição de 50 por cento do risco de acidente vascular cerebral é necessário que passem cinco anos depois de abandonado o vício do tabaco. Os dados referentes aos benefícios da cessação tabágica indicam ainda que só depois de 10 anos sem fumar é que se consegue diminuir o risco de cancro do pulmão, mas que, por mais tempo que passe, nunca fica igual ao de um não fumador." - Fonte: DN Online

quarta-feira, junho 18, 2008

Bat strikes again

Obrigado!

terça-feira, junho 17, 2008

segunda-feira, junho 16, 2008

Corda Bamba

Por sugestão do Pardinho do costume, aqui fica uma desanuviação:
DANÇAR NA CORDA BAMBA
Letra: Carlos Tê
A vida é como uma corda
De tristeza e alegria
Que saltamos a correr
Pé em baixo, pé em cima
Até morrer
Não convém esticá-la
Nem que fique muito solta
Bamba é a conta certa
Como dança de ida e volta
Que mantém a via aberta
Dançar na corda bamba
Não é techno, não é samba
É a dança do ter e não ter
É a dança da Corda Bamba
Salta agora pelo amor
Ele dá o paladar
Mesmo que a tua sorte
Seja a de um perdedor
Nunca deixes de saltar
Se saltares muito alto
Não tenhas medo de cair (baby)
De ficar infeliz
Feliz a cem por cento
Só mesmo um pateta feliz
Dançar na Corda Bamba
Não é techno, não é samba
É a dança do ter e não ter
É a dança da Corda Bamba

domingo, junho 15, 2008

Vou rir?

Weekly Horoscope
Mercury direct - get going! Life-Changing Experiences
It finally happens on Thursday: you are ready to watch the pieces of your life puzzle fall back into place. Your energy will be focused and on-target, and your thoughts and actions will not be as scattered as they have been. It's a great time for you to consider any decisions you have put off. If you are looking for a residence to move, you can get started on your search mission now. On Friday, you encounter a very powerful, life-changing experience as the Sun in Gemini opposes Pluto retrograde in Sagittarius. This situation will give you pause for reflection, and you will reevaluate the way you think about your life and your lifestyle. You may decide to make some important new changes in your existence. Rest assured any alterations you make are crucial to your ultimate life journey.

E agora Manel?


... é isto o início do fim de quê?
- é só uma casa, vão-se os anéis mas ficam os dedos, é só uma fase menos boa logo logo recuperas. Os esforços de hoje serão recompensados amanhã, verás.
... mas estou a esforçar-me o suficiente? poderia fazer mais? o quê?
- assim está bom, estás a mexer-te e isso é que importa! Às vezes é necessário um passo atrás para depois poder seguir em fente. Vende a casa, para quê é que precisas de estar agarrado a um banco a vida toda. Não vendas a casa, é um bem que terás mais tarde, um complemento de reforma. Porque não alugas só por uns tempos? Vais alugá-la? E não te a estragam toda? Vê lá quem metes lá dentro! Ainda por cima depois do investimento que lá fizeste. Vai com calma, escolhe bem!
... ok, resolvi parte do problema, já aluguei a casa. Tenho de começar a tratar das coisas. Pânico. É tudo para já. Não pensei que fosse tudo acontecer tão rápido! O que tenho de fazer agora? Mandar fechar água, luz, a net... arranjar caixas, começar a encaixotar. Agendar reunião de condóminos. Fazer uma lista, é melhor. O melhor é pedir a última semana lá em Lisboa, para tratar de tudo aqui. Vou para onde? Tem de compensar o esforço e a privação que vou ter...
- se quiseres podes vir para aqui. Não, não vás para ali, vem para aqui. Não precisas pagar, ficas até resolveres a tua vida. Não estás sozinho, sabes disso não sabes?
... não o sinto, desculpem. Só me apetece chorar (mas um gajo não chora!).
Os habituais conflitos aqui dentro:
Pára de ser assim, mexe-te! Sai da cama.
Deixa de ter pena de ti próprio e age, reage, faz alguma coisa.
Começa a arrumar as tuas coisas em caixas.
Sê prático!
Tens duas semanas para sair.
Faz uma lista do que tens a fazer.
Não páres.
Parar é morrer.
Estou cansado, não consigo parar de pensar em tudo sem chegar a uma solução...
Tenho feito de tudo, tenho lutado, não é justo o que está a acontecer!
Estou cansado, sinto-me sozinho.
- estamos aqui

... AAAAAAAAAAAAAAARRRRRRRRRRRRGGGGGGGHHHHHHHH

Happy Birthday

sexta-feira, junho 13, 2008

Humor negro

Hoje, sexta-feira 13 de Junho, foi dia de azar para uns, em especial para:
Santo António - 777 anos da morte do santo adoptado pelo povo de Lisboa mas cujo verdadeiro padroeiro é São Vicente de Fora
Vasco Santana - 50 anos da sua morte
António Variações - 24 anos da sua morte
Al Berto - 11 anos da sua morte
Álvaro Cunhal e Eugénio de Andrade - 3 anos das suas mortes

Celebra-se também:
635 anos da assinatura do Tratado de Windsor entre Portugal e a Inglaterra - o mais antigo tratado entre nações, ainda em vigor
Fernando Pessoa - 120 anos do seu nascimento

Mais efemérides deste dia, aqui

quarta-feira, junho 11, 2008

Passar a barreira

E já cá estou oficialmente, do lado de cá da barreira dos 30’s.
Fala-se que os 30 são uma idade maravilhosa e tal e coiso. Da minha parte digo que, até à data, não encontrei nada merecedor dessa consideração. Afinal é só mais um ano, uma data, um número como outro qualquer. Não senti, nem me chegou, nada dessa suposta sensação de mudança, de maturidade, serenidade, plenitude, evolução, melhoria, de bem com a vida (seja lá o que tudo isso queira significar)... palpita-me que deve ser coisa para estar naturalmente embebido em nós, independentemente do número de anos que já vivemos neste planeta. Não é algo que aconteça do género chegar aos 30 e zás, qual fulminado por um raio, de repente tudo muda e tornas-te num ser humano pleno e maravilhoso... Nada disso!
O pior dos fenómenos ao passar a barreira dos 30 – algo que, em primeiro lugar, julgava ser folclore e em segundo estar completamente imune pelo facto de toda a vida ter sido magro qual pau de virar tripa (por norma tinha uma cova no lugar onde deveria estar uma protuberância – resultado de um estômago colado às costas) – esse sim já me chegou! Refiro-me ao aparecimento da famosa e malfadada ‘barriguinha de depois dos 30’ e alguma ligeira flacidez generalizada pelo corpo todo – a força da gravidade começa a ganhar-me!
Deduzo que esta mudança no corpo, como até já referi anteriormente aqui, seja em muito motivada pelos meus 162 dias sem tabaco, pelos meus últimos 52 dias de extrema ansiedade (desde este acontecimento) e bastantes conflitos interiores que me levam a comer mais e com maior frequência (ainda que muita dessa comida seja fruta) e pela ausência total de qualquer tipo de exercício tonificante que contrarie e retarde a ordem natural da queda das coisas. Lembrar-me de inscrever num ginásio (aceitam-se sugestões), antes que se torne irreversível...
É com este tipo de fenómenos, como o aparecimento de alguns cabelos brancos, o crescimento da testa (este fim de semana fui cortar o cabelo e fui aconselhado a manter o risco mais para baixo, para amenizar o avanço das entradas) que me apercebo de que não irei saber lidar muito bem com a minha ainda longínqua (m'engana que eu gosto!) velhice... talvez isso seja algo que chega com a ternura dos 40 (lembrar de perguntar a este grande querido - prelúdio de uma provocação para próximo dia 15 - se isso se confirma)... ah ah ah

domingo, junho 08, 2008

Catch me if you can

Como mencionei no meu último post, tenho andado arredado destas lides. O mês de Maio passou, foram acontecendo algumas coisas dignas de registo, mas que aqui não registei. No mínimo é estranho uma vez que, entre outras coisas, é neste mês que comemoro o meu aniversário e se formos ver a quantidade de posts que escrevi o ano passado por esta altura apercebemo-nos ainda mais a estranheza da coisa.
Vou pensando ‘logo escrevo, mais tarde, daqui a pouco, amanhã’ e a verdade é que o tempo vai passando e não deixo registo de nada. Torna-se tarde, já passou tempo demais para fazer referência, para contar, deixa de fazer sentido estar a escrever sobre coisas requentadas e fora de prazo. Já nem vou referir exaustivamente as crises existenciais do costume, ‘estou a escrever para quem?’, ‘é tudo uma parvoíce!’, ‘a quem poderá interessar isto?’, ‘que presunção é essa a minha de pensar que os outros estão interessados em saber a minha vida?’, que me afastam ainda mais daqui. Depois também penso ‘escrevo, em última análise, para mim!’, mas nem chego ao pé do computador, estou cansado, logo no fim de semana pego nisto com mais calma. E assim se deixa passar mais de um mês sem escrever quase nada por aqui.
Exceptuou-se este post porque vim emocionadíssimo do cinema e não tinha com quem partilhar o que tirei dessa experiência, logo, descarreguei aqui – para quê é que serve um blog, em última análise, senão para descarregarmos/partilharmos as nossas emoções/sentimentos quando não há mais ninguém?
Tinha em mente, há já algum tempo, escrever um post sumário, organizado por datas/momentos importantes com o que de maior relevância ocorreu em Maio. Mas depois este caramelo fez esta coisa e eu nem me atrevi sequer voltar a pensar no assunto com receio de me apontarem como plagiador... não foi esse o principal motivo, obviamente, mas a idéia que tinha perdeu todo o sentido pela falta de originalidade e pela proximidade bloguística. Ainda assim, há a retirar um bom sinal desta coincidência, qualquer coisa do género “great minds think alike!” - não desfazendo o menino Paulo. eh eh eh

Posto isto e esquecendo tudo o que acabei de escrever, aqui vai o breviário das minhas últimas semanas:

Primeira semana de Maio
Passou por Setúbal o meu sobrinho mais velho (com 27 anos, filho do meu Pardinho, vive em Hamburgo e é o responsável por me ter tornado no tio-avô mais novo, e mais sexy também, da minha rua...). Está bonito, o ‘puto’, continua sempre muito querido e carinhoso para com esta família que já conheceu tarde. Projecta vir viver de vez para Portugal, não sei se o conseguirá. Saímos com ele numa noitada valente, eu e duas das minhas manas, onde ainda fomos encontrar este outro sobrinho. Foi a loucura, tio, tias e sobrinhos tudo muito bem disposto, alcoolicamente bem disposto…
A semana acabou com o aniversário do X, num restaurante paquistanês (bom) em Lisboa, depois de anulada a opção inicial no Chapitô por iluminada sugestão, penso que, destes rapazes... ou terá sido deste? Foi uma excelente oportunidade para rever o X e o F, para conhecer finalmente o e o Paulo na carne e no osso (apesar do Zé não gostar de carne com osso), assim como também o afável Pinguim. Conheci também a S, apesar de não ter falado muito com ela, pois não nos sentámos perto, pareceu-me ser simpática. Eu estava um pouco em baixo, não privei muito com os presentes, mas esforcei-me para esquecer os meus problemas e estar ali a desfrutar daquele momento!

Segunda semana de Maio
Nada de especial interesse a declarar. Viagens diárias entre Setúbal - Lisboa e depois de novo, ao final do dia, Lisboa - Setúbal. Lado positivo desta seca a que já não estava habituado: tem sido uma excelente oportunidade para meter as minhas leituras em dia. Muito leio eu no trajecto de autocarro e do metro, tenho lido mais livros este mês que nos últimos três anos, sem exagero!

Terceira semana de Maio
Fui com a minha mãe, mais dois sobrinhos e uma mana, no feriado de Corpus Christi, visitar a exposição “Dinossáurios - Encontro de Gigantes” no outlet Freeport de Alcochete – pobre, pequena, fraca, muito má, comparativamente com a que esteve há uns anos atrás no Zoo de Lisboa, mas faz a delícia dos mais pequenos e é o que se pretende. Antes de irmos para a exposição almoçámos num restaurante no Freeport onde, estava capaz de apostar o brasão da minha família (se ainda o houvesse!), os dois únicos empregados de mesa, pelos indícios de intimidade em pequenos gestos e também pela constante ruptura daquele espaço de distância de segurança que costumamos criar e manter face ao outro, e que entre eles era constantemente partilhado, eram quase de certeza namorados. Achei toda a situação, entre eles e a minha observação dissimulada, um mimo!

Quarta semana de Maio
Consulta de oftalmologia no Hospital de Setúbal ao fim de 6 meses de espera, depois da inscrição ainda mais duas horas e meia até ser chamado para depois ser visto em 10 minutos, se tanto, no gabinete de um médico que atendia 3 pessoas ao mesmo tempo – está tudo bem com a minha vista, o cansaço é devido ao muito tempo passado em frente ao computador e o estar sempre com os óculos, há que fazer pausas de ambas as situações.
Na véspera do meu aniversário vou jantar com a cara-metade. Tudo planeado por ele (aqui), vamos até Alfama ao restaurante “Mesa de Frades” onde canta a Carmo Rebelo de Andrade, vulgo, Carminho. Foi uma noite fantástica! Da experiência, está tudo dito aqui que subscrevo na íntegra. Gostei muito!
Dia 29 chego finalmente ao dia do meu 31.º aniversário. Dia normal, trabalho, com a benesse de ir um pouco mais cedo para casa. Aproveito vou descansar um pouco pois no final do dia tenho uma casa cheia de família, velas para soprar e bolo para partir, patrocinado pelas duas manas mais velhas. A mana caçula ofereceu-me a colecção completa de dvd’s da minha saga de ficção científica favorita – “Alien” (com os extras da saga “Predador”), levei um ano para consegui-la! Quanto a mim, ofereci-me este livro há muito fisgado e encomendado no site da maravilhosa e sempre surpreendente TASCHEN que, só pela originalidade fantástica da capa (não dá para reproduzir aqui), já valeu a pena a compra! Recebi também alguns e-mails, sms e telefonemas dos amigos do costume. Não contava e surpreendi-me com a chamada destes queridos que, no meio dos seus milhentos afazeres, arranjaram tempo para ligar a dar-me os parabéns. Volto a agradecer-vos aqui o vosso gesto bonito e carinhoso!
Com a semana a chegar ao fim, sábado de manhã acordo cedo para ir, obviamente, comprar os bilhetes para o concerto da Sticky & Sweet Madonna. Vinte minutos depois de esperar na fila da Bliss, já cá tinha os meus seis bilhetes. Estava à espera de uma maior afluência nas bilheteiras e fui preparado psicologicamente para uma seca na fila, mas safei-me, talvez pelo sítio onde fui (Fórum Montijo) ou pela hora a que fui.
No final do dia ainda fui com o meu moço até Aires, ajudá-lo a finalizar os últimos pormenores deste seu último projecto pois no domingo seguinte, dia mundial da criança, seria a abertura oficial deste novo espaço da Câmara Municipal de Palmela.

Primeira semana de Junho
Início da semana com um passeio pela Feira do Livro de Lisboa, na companhia do Pardinho que me oferece “O Livro do Pénis” pela piada, e “O Economista Natural” para ver se eu ainda aprendo alguma coisa. Passo a correr pelos barracões das editoras e vejo tudo num ápice - entro em stress por não conseguir ver as coisas como quero, depois disparo a mil à hora para despachar a coisa e acabo por não ver nada com esta minha impaciência. Ia eu já nos famosos pavilhões da Leya quando o meu companheiro de feira ainda ia no outro lado, bem no início, na 4.ª ou 5.ª editora... voltei atrás para ir ter com ele e acabei por não ver a feira até ao fim.
No dia a seguir, consulta com a médica família para mostrar exames de rotina (electrocardiograma e análises) – tudo óptimo comigo, ‘vê se deixas de ser hipocondríaco!’
Meio da semana com o aniversário da mana mais velha, espécie de minha segunda mãe, com a família toda no restaurante. Para quem tinha um diagnóstico de poucos anos de vida pouco depois de nascer, já vai com uma vantagem do caraças!
A semana dá-se por terminada com este ponto alto, já merecedor de um post.

sexta-feira, junho 06, 2008

Sex and the City...

...Get Carried away
Tenho andado desaparecido destas lides - vou tentando manter as leituras em dia e já não está mau, voltar a escrever tem sido mais difícil... falta de tempo e também de vontade.
Mas, só para agora, resolvi partilhar isto: fiz anos a semana passada e os cinemas Castello Lopes ofereceram-me, como prova do seu amor e carinho para com este seu cliente especial, dois bilhetes de cinema. Adiei o resgate da oferta durante toda a semana, à espera de melhor data para aproveitá-la a dois. Hoje expirava o prazo e por isso acabei por aproveitá-la, à última da hora, a um. E foi assim que fui ver sozinho o "Sexo e a Cidade". Aliás, acabei de ver e sim, deixei-me "carriegar".
Ri, muito, chorei também, o guarda-roupa foi irrepreensível, os diálogos excelentes, os gajos sempre giros (há um vislumbre duma visão dantesca, do inferno), as mulheres sempre fantásticas, boa música (com a Jennifer Hudson - Dreamgirls - a secretariar Carrie e a deixar a sua voz portentosa na BSO do filme), a Candice Bergman (Murphy Brown) está velha... mais... voltei a rir, enterneci-me pelo meio, chorei de novo e saí da sala de cinema mais uma vez convicto de que, apesar de tudo, realmente sou um romântico incurável.
Nada a fazer... O amor é lindo e o resto que se lixe!
Para quem via (ou ainda vê) esta série, o filme é, grosso modo, um episódio maior. Quem não seguia a vida das 4 amigas nova iorquinas mais fashion do planeta, é só mais uma comédia romântica, como tantas outras. Eu, como fã da série, adorei!
Deixo-vos o trailler: