sexta-feira, outubro 31, 2008

Happy Halloween


A sete minutos do final de um dia de trabalho extenuante, lá consegui chegar a casa, telefonar e dar-te os parabéns num ambiente mais descansado.
Ele há dias...

sexta-feira, outubro 17, 2008

You're dismissed

Hoje coube-me a mim, nas minhas novas funções, fazer algo pela primeira vez na vida: dizer a uma funcionária que estava dispensada. Passei toda a noite enervado, assim que soube da incubência dessa missão que me atribuiram - obviamente para me testarem.
No final do dia lá respirei fundo, chamei a Sra. e passei-lhe a informação, assim como a papelada para ela assinar. A reacção dela foi na maior, parecia que já estava à espera, mas por dentro, só ela saberá... Mesmo que se esteja à espera, ter a confirmação absoluta do facto deve custar, pois há sempre aquela esperança de que as coisas podem correr pelo melhor, é o que eu penso.
Enfim, já está feito, prova superada! Mas estou triste... ainda que me tente convencer que a vida é assim mesmo...

quinta-feira, outubro 16, 2008

G'andas Molokos!

  

Esta tem sido a banda sonora que tem corrido pela minha cabeça ultimamente. É muito boa onda, electrizante, vibratória! Faz-me querer dançar, saltar, viajar. Leva-me a outros tempos, mais soltos, mais leves, simples, alegres e, sem dúvida, onde tudo continha a promessa de um futuro mais sorridente. Let's make this moment last!

  


Róisín Murphy foi vocalista do fantástico e extinto dueto Moloko - composto por ela e por Mark Brydon (o actual ex-marido) - continuou a sua carreira a solo e já vai no segundo album. O nome é "Overpowered" e podem ver e ouvir alguns vídeos aqui, aqui e aqui. Ainda bem que a moçoila continuou a cantar e para quem é super fã pode contar com a presença dela já no próximo dia 30 de Outubro no Coliseu de Lisboa e 31 no do Porto. Eu, com alguma pena, não estarei por lá.

Day 289

Hoje lembrei-me de fazer as contas e já lá vão 289 dias sem tabaco... acho que vou comemorar a meta alcançada com um cigarrinho! Estou a brincar... mas que me tem apetecido muito fumar um cigarro nestes últimos dias, confesso que tem.

Esta imagem que usei para ilustrar este post encontrei-a na net aqui. Lembrei-me logo de uma piada ilustrada pelo mais que tudo, já antiga, e com a qual começo a rever-me cada vez mais. Essa ilustração de que falo intitula-se "o fumador passivo" e podem revê-la aqui.

quarta-feira, outubro 15, 2008

CRISE FINANCEIRA FOR DUMMIES

Agora entendi esta coisa da crise financeira de que toda a gente fala.
Espera... não, afinal ainda não entendi, mas pelo menos ri um pouco!

terça-feira, outubro 14, 2008

Mags

Um post a ter feito há já algum tempo*:
São as capas de duas revistas que comprei no mesmo dia (aquisições indispensáveis cá por casa todas as vezes que saiem) a Umbigo e a ComOut. Ao colocá-las na mesa da sala uma sobre a outra achei curioso o efeito e depois, para a foto, esmerei-me por fazer corresponder a sobreposição da melhor maneira possível e foi este o resultado:

*Esta foto foi tirada com o meu telemóvel no início de Setembro mas só agora a reencontrei aqui perdida por entre os milhentos ficheiros do meu pc. Guardei-a para mais tarde publicar no blog e nunca mais me lembrei dela... mas como dizem, mais vale tarde, que nunca e aqui está!

segunda-feira, outubro 13, 2008

Já não há referências

Hoje, durante as compras para o jantar, enquanto passeava por um dos corredores do supermercado deparei-me com a nova (?) imagem de uma das minhas referências de infância, o Vitinho - a mascote da Milupa que durante anos nos mandou para a cama quando chegava a hora. Confesso que fiquei chocado com o novo visual do menino das papas, a evolução é imensa, senão reparem: na imagem à esquerda o Vitinho nos anos 80 quando apareceu; ao meio em meados dos anos 90 já com um restyling moderado e, por fim, à direita em 2008 com o seu aspecto actual.
Começou tudo com a mudança do Cangurik da Nestlé para aquele coelho histérico e irritante com nome de queca rápida em inglês (Quicky), mais recentemente foi a história com a alteração do boneco do Multibanco (subscrevo isto), agora fazem-me uma destas, com o Vitinho!?!?!?
Qualquer dia todas as minhas referências deixam de existir por completo!

sábado, outubro 11, 2008

Modo Robot


Cada dia que passa mais me convenço que o melhor que tenho a fazer neste momento é ligar o piloto automático, seguir em frente em modo Robot e não pensar muito na vida...
Ah! E acreditar piamente que dias melhores virão.

sexta-feira, outubro 10, 2008

Imaginem

"Imaginem que todos os gestores públicos das setenta e sete empresas do Estado decidiam voluntariamente baixar os seus vencimentos e prémios em dez por cento. Imaginem que decidiam fazer isso independentemente dos resultados. Se os resultados fossem bons as reduções contribuíam para a produtividade. Se fossem maus ajudavam em muito na recuperação.
Imaginem que os gestores públicos optavam por carros dez por cento mais baratos e que reduziam as suas dotações de combustível em dez por cento.
Imaginem que as suas despesas de representação diminuíam dez por cento também. Que retiravam dez por cento ao que debitam regularmente nos cartões de crédito das empresas. Imaginem ainda que os carros pagos pelo Estado para funções do Estado tinham ESTADO escrito na porta. Imaginem que só eram usados em funções do Estado.
Imaginem que dispensavam dez por cento dos assessores e consultores e passavam a utilizar a prata da casa para o serviço público. Imaginem que gastavam dez por cento menos em pacotes de rescisão para quem trabalha e não se quer reformar. Imaginem que os gestores públicos do passado, que são os pensionistas milionários do presente, se inspiravam nisto e aceitavam uma redução de dez por cento nas suas pensões. Em todas as suas pensões. Eles acumulam várias. Não era nada de muito dramático. Ainda ficavam, todos, muito acima dos mil contos por mês.
Imaginem que o faziam, por ética ou por vergonha. Imaginem que o faziam por consciência. Imaginem o efeito que isto teria no défice das contas públicas. Imaginem os postos de trabalho que se mantinham e os que se criavam. Imaginem os lugares a aumentar nas faculdades, nas escolas, nas creches e nos lares. Imaginem este dinheiro a ser usado em tribunais para reduzir dez por cento o tempo de espera por uma sentença. Ou no posto de saúde para esperarmos menos dez por cento do tempo por uma consulta ou por uma operação às cataratas.
Imaginem remédios dez por cento mais baratos. Imaginem dentistas incluídos no serviço nacional de saúde. Imaginem a segurança que os municípios podiam comprar com esses dinheiros. Imaginem uma Polícia dez por cento mais bem paga, dez por cento mais bem equipada e mais motivada. Imaginem as pensões que se podiam actualizar. Imaginem todo esse dinheiro bem gerido. Imaginem IRC, IRS e IVA a descerem dez por cento também e a economia a soltar-se à velocidade de mais dez por cento em fábricas, lojas, ateliers, teatros, cinemas, estúdios, cafés, restaurantes e jardins.
Imaginem que o inédito acto de gestão de Fernando Pinto, da TAP, de baixar dez por cento as remunerações do seu Conselho de Administração nesta altura de crise na TAP, no país e no Mundo é seguido pelas outras setenta e sete empresas públicas em Portugal. Imaginem que a histórica decisão de Fernando Pinto de reduzir em dez por cento os prémios de gestão, independentemente dos resultados serem bons ou maus, é seguida pelas outras empresas públicas.
Imaginem que é seguida por aquelas que distribuem prémios quando dão prejuízo.
Imaginem que país podíamos ser se o fizéssemos.
Imaginem que país seremos se não o fizermos."
Mário Crespo, Jornal de Notícias [04.08.2008]

quinta-feira, outubro 09, 2008

CHE

Argentina, 14 de Junho de 1928 — Bolívia, 9 de Outubro de 1967

"A imagem mais reproduzida do mundo foi tirada em 5 de março de 1960, pelo fotógrafo cubano Alberto Korda.
A imagem do guerrilheiro argentino com olhar distante, de cabelos longos debaixo de uma boina com uma estrela, já virou ícone popular omnipresente do século XX. Além de ser uma das fotos mais reproduzidas do mundo, a imagem de Che se tornou uma das mais usadas em publicidade de produtos dos mais variados.
Essa foto foi tirada quando centenas de pessoas prestavam homenagem às vítimas de explosões do cargueiro francês "La Couble" que chegava carregando armas para o governo cubano.
Alberto Korda, fotógrafo do jornal Revolución, estava lá para cobrir o evento e foi o responsável pela foto que celebrizou Che no mundo inteiro. Guevara assumiu a identidade de mito popular. Desde ímãs de geladeira, também pode ser visto na lataria de carros de praça de São Paulo, na bandeira da torcida do Cruzeiro de Belo Horizonte, no bíceps flácido de Diego Maradona e na barriga de jacaré de Mike Tyson, e até em biquinis de grife.
De todos os atributos conhecidos – a valentia, o rosto belo, a barba que lhe emprestou um aspecto entre poeta romântico e um Cristo rebelado –, nenhuma característica marca tanto o mito Che Guevara como a persistência. Num mundo de heróis efêmeros e celebridades reconhecidamente medíocres, sua durabilidade é um assombro. Ela despertou a imaginação dos estudantes parisienses que se revoltaram nas ruas em maio de 1968 e virou símbolo da revolta de várias gerações." -
fonte

Sobre através de um documentário qualquer na televisão, que o fotógrafo recebeu uma ninharia por esta fotografia, perdendo assim todos os direitos sobre as milhentas reproduções que dela se fizeram posteriormente.
Pergunto-me, quantas vezes terá ele, enquanto esteve vivo, amaldiçoado esse seu acto?

terça-feira, outubro 07, 2008

Back to life

De volta à blogoesfera depois de um interregno de 2 semanas e mais de 1500 entradas para lêr no meu Google Reader... volto daqui a outros 15 dias. Até já!!