domingo, novembro 30, 2008

Problemas Ergonómicos

A escassos minutos de acabar uma semana exaustiva de trabalho, prestes a atingir aquele paraíso que dá pelo nome de folga, uma colega chama-me para ir ao Bar. Não, não eram mais cantigas, estava lá a minha mãe e um dos meus sobrinhos para falarem comigo. Como estava mesmo de saída apressei o passo em jeito de corrida e, no trajecto entre o local onde me encontrava e a minha mãe, a minha cabeça foi ao encontro de uma chapa de umas das chaminés. De repente, em nanosegundos, ouvi um estrondo imenso dentro da minha cabeça, vi um enorme clarão branco, caí no chão para logo me levantar e dizer 'Estou bem, não se preocupem!'. Logo sinto a cabeça quente, levo a mão ao sítio da pancada e regresso com os dedos avermelhados... 'se calhar é melhor sentar-me no chão outra vez', pensei eu. Depois de ter causado o pânico à minha mãe, ao meu sobrinho e às colegas de trabalho que já se encontravam à minha volta, fui levado para o hospital.
Resultado: chego ao guichet com um saco de gelo na cabeça e um pano ensanguentado, passo directo pela famosa Triagem de Manchester, metem-me uma pulseirinha verde no pulso (tempo de espera até 2 horas) e aplicam-me um curativo rápido até ser avaliado na pequena cirurgia. Enfaixam-me exageradamente a cabeça (a foto tirei-a com o meu telemóvel, para a posteridade) e mandam-me esperar. Pouco tempo depois, já nas mãos do médico cirurgião, levo um mísero ponto (UM!) na cabeça, cosido sem anestesia (à Homem!), pois se a levasse seria mais uma picada que iria sentir e não valia a pena... já bastava a do ponto (palavras do sr. doutor!). Ainda perguntei ao médico se, com isto, dava direito a ficar uns 15 dias em casa para recuperar, ao que ele me respondeu que os dois dias da folga me bastavam... bolas, isto nem para umas mini-férias serviu!
Agora já estou em casa, bem, tranquilo, mas com uma dor esquisita no cocuruto.
É o que dá ser alto demais para as condições arquitectónicas existentes no local de trabalho!

sexta-feira, novembro 28, 2008

Momento de boa disposição

Trabalhar num sítio completamente aberto a todo o tipo de público tem destas coisas.
Hoje, depois de já ter passado por mim a maior parte da maralha faminta e da confusão habitual da hora de almoço amainar, mandaram-me chamar ao balcão do Bar porque uns clientes queriam falar com um dos chefes. Inspirei fundo e lá me meti a caminho, irritado e a pensar 'o que é que foi agora?'.
Quando cheguei do lado de lá do balcão estavam 4 rapazes, sorridentes e bem apessoados (parabéns aos progenitores), que, assim que me viram, disseram "Era com A chefe! Mas também pode ser consigo". Depois começaram cantar "Tudo o que te dou", do Abrunhosa, para mim!!!! Eu, embaraçadíssimo, sem saber onde me enfiar, se deveria rir ou chorar, se os mandava passear e virava costas, resolvi ficar para ver até onde iam com aquilo. Cantaram tudinho até ao fim, sempre afinados. Eu, as minhas colegas do Bar, as meninas das bilheteiras do cinema em frente e alguns clientes que estavam sentados a tomar café, ali ficámos todos parados e a sorrir com aquele momento.
No final, quando terminaram, perguntei-lhes se aquilo tinha sido alguma aposta feita entre eles. Responderam-me que eram apenas malucos. Pois que sejam sempre assim malucos, dessa maneira que deixa os outros com um sorriso na cara.
E de repente o nosso dia ficou mais bonito graças àquelas quatro alminhas!

quarta-feira, novembro 26, 2008

Balanços e balancetes

Foto daqui.

Não se trata de nenhuma aula de Contabilidade, podem respirar de alívio! Refiro-me ao balanço destes últimos meses.
Pensando no assunto, o saldo acaba por ser positivo apesar de haver dias menos bons em que só me apetece fugir e onde a expressão "onde é que me fui meter?!?!" martela incessantemente na minha cabeça. O que vale é que depois passa…
A coisa acaba por ser positiva pela experiência em si, com ela apercebi-me que afinal quando sou posto à prova até consigo sair bem dos desafios complicados em que me meto; também por fazer com que eu, um rapaz extremamente tímido, lide directamente com o público e até goste disso – apesar de algumas vezes apetecer-me muito, mas muito mesmo, esganar alguns clientes, fico-me por um palavrão feio e muito grosseiro dito entre dentes ou somente proferido dentro da minha cabeça (até ao dia em que me saia pela boca o que verbalizo mentalmente, aí quero ver como descalço a bota!); pela equipa de trabalho que, mesmo com tarefas tão chatas e pesadas, arranja sempre maneira de ter um riso, boa disposição e momentos bem passados – pela primeira vez em muito tempo dou por mim a rir (a assobiar e a cantarolar!!) com gosto no local de trabalho; por último, igualmente positivo pelas novas aprendizagens que adquiri numa área que nunca tinha trabalhado antes.
A parte menos boa é só mesmo o horário que, por ser repartido, leva-me a ficar a maior parte do dia agarrado ao local de trabalho onde acabo por estar cerca de 11 horas/dia. Por isso chego a casa tarde e quase sempre cansado e, pela primeira vez na vida, as folgas sabem-me que nem ginjas e sempre a pouco. Por falar nisso, esta já se foi... estou, uma vez mais, prestes a entrar ao serviço das barrigas famintas desta minha cidade daqui a pouco mais de duas horas.
Enfim, não há bela sem senão, já diz o povo e com razão!

terça-feira, novembro 25, 2008

Train Jumping

As razões que me levaram a aceitar o desafio de um novo trabalho numa área que, até à data, pouco me dizia, foram substancialmente financeiras: trabalhar com contrato como deve ser e não num esquema marado de falsos recibos verdes, estar a 5 minutos de casa e ainda ter almoço e jantar incluído. Não foi preciso pensar muito para aceitar uma proposta destas tendo em conta que em Lisboa eu estava a ganhar praticamente o mesmo – apesar de ser na minha área e de receber um pouco mais, estava sem contrato (e sem recibos!) e ainda com os custos elevados dos transportes e da alimentação.
Depois, porque gosto muito de cozinhar, pensei que seria uma excelente oportunidade de contactar com esta área a um nível profissional – esta parte enganei-me redondamente, uma vez que ter tempo para chegar perto da cozinha tem sido impossível mas, também, não é o género/processo (este é mais numa óptica industrial e não gourmet) de confecção que me atrai pelo que acaba por não ser grave de todo.
E foi assim que saltei, mais uma vez e bem ao meu estilo, para um comboio em andamento.

segunda-feira, novembro 24, 2008

Tempus fugit

Imagem roubada aqui

Os dias passam a correr, as semanas, os meses e, obviamente, os anos. Quando dou por mim, semana após semana, vejo que não consigo fazer nem metade (nem um terço!!) das coisas que quero fazer.
Já passaram quase três meses completos desde que resolvi aceitar uma proposta de trabalho na Restauração (as in Restaurante e Bebidas, and not Restauro de Antiguidades), que nada tem a ver com a minha área de formação e experiência profissional – anos e anos a queimar as pestanas com o Design e as Tecnologias Gráficas para agora estar aqui…
Diários de guias, folhas de caixa, sumários de Multibanco, lançamentos de facturas, guias de remessa, devoluções de vasilhame, mapas de pessoal, folhas e mais folhas de cálculo, inventários mensais, matéria-prima alimentar, matéria-prima não alimentar, fecho e abertura da casa, gestão de stocks, gestão de compras, 99 função gerente, 20 função gerente, digite a password, estornar produto, N Open Check, 1 Open Check, introduza o n.º de conta, estornar a conta, ementa do bar, ementa da linha, prato do dia, menu sete euros, promoção cinco e cinquenta, 'essa sobremesa não faz parte do menu são mais trinta cêntimos de extra' – estes são alguns dos muitos termos com que lido actualmente cerca de 11 horas por dia.
De resto, não me sobra tempo para muito mais a não ser chegar a casa e dormir.
Por isso, isto.
Mas hoje estou de folga!!!!

domingo, novembro 23, 2008

Mais vale tarde...

Há um ano atrás acontecia isto em Setúbal, tendo sido noticiado um pouco por toda a parte tanto o acidente como o que aconteceu depois com a tragicomédia entre as diferentes seguradoras dos moradores do edifício danificado, a empurrarem a batata quente umas às outras.
Ao que parece só agora se concluiu todo o processo de investigação da Polícia Judiciária... vamos ver quanto tempo mais vai ser até que os moradores tenham os seus problemas resolvidos.
Assim se passam as coisas, dentro das tripas do Paço!

sexta-feira, novembro 21, 2008

O meu nome é...

Não, não vou escrever nenhuma recensão sobre o livro de Lobo Antunes "O meu nome é Legião". Ainda não estou assim tão inteligente, nem tenho qualquer tipo de pretensão em tornar este blog numa versão pobre do Da Literatura. Acalmai-vos!
É só mais um dos meus fait divers, assim uma coisa ligeirinha, como só eu sei ser.
Então, uma vez para ajudar a passar o tempo, enquanto esperava a minha vez na estação de correios, fiz uma recolha sobre alguns significados de nomes masculinos que encontrei nuns marcadores de livros à venda na estação.
O critério, da selecção que fiz, teve por base pessoas que conheço - as simple as that - e fiquei a saber que:
  • Alexandre - Humano
  • André - Varonil
  • António - O principal
  • Carlos - Corajoso
  • Eduardo - Rico, guardador de riquezas
  • Gonçalo - Combatente
  • Guilherme - Decidido, protector
  • Hugo - Inteligente
  • João - Deus é Misericordioso
  • Jorge - Determinado
  • José - Deus multiplica
  • Manuel - Deus é presente
  • Miguel - Incomparável
  • Paulo - Pequeno
  • Tiago - Vencedor
  • Ricardo - Poderoso
  • Rodrigo - Famoso pela Glória

Como podem ver, podemos sempre aprender alguma coisa enquanto esperamos 50 minutos nos correios para levantar uma simples carta.

quinta-feira, novembro 20, 2008

Veeeeeeeerde!

Ontem, a cara metade, nem sei bem porquê, lembrou-se desta Sra. e lá andou pelo Youtube à procura dela, até que a achou. É sempre um fartote de riso de cada vez que ouço esta "cantiga?!?!" e recordo-me sempre dos tempos de Tomar. Assim e em retribuição ao post anterior dedico esta, da Sô Dona Natália de Andrade, aqui ao mano faroleiro, for the good old times!


Lembras-te? eh eh eh

quarta-feira, novembro 19, 2008

I can't


Ilustração de Marc Johns, retirada desta galeria, aqui.

Stop and stare
I think I'm moving but I go nowhere
Yeah, I know that everyone gets scared
But I've become what I can't be, ohhh
Stop and stare
You start to wonder why you're here, not there
And you'd give anything to get what's fair
But fair ain't what you really need
Oh, can you see what I see


Este texto, em forma de música Pop do momento, foi há dias uma oferta singela do mano faroleiro aqui. Às vezes, quando nos sentimos menos bem, são estas pequenas coisinhas que dão algum significado ao que não tem significado e daí, talvez não...
Enfim, tudo isto só para te dizer mais uma vez o que já disse lá no teu espacinho:
Obrigado!

terça-feira, novembro 18, 2008

Entupido

Passei os dois dias do meu descanso semanal de chôco, entre maços de tissue encharcados em muco (too much graphic?), dor de cabeça, estados febris e alguma dor muscular. Para a próxima encomendo este gadget japonês para facilitar o meu desentupimento nasal!!!
E amanhã já é dia de trabalho outra vez... How great is that?

80 anos

O rato está hoje de parabéns!

segunda-feira, novembro 17, 2008

Escorpiões

Fazem hoje anos dois dos meus escorpiões favoritos - acabo de reparar que há cada vez mais destes "bichinhos" a cruzarem a minha vida - um 35 e outro apenas 9.
Parabéns a ambos!

segunda-feira, novembro 10, 2008

Day off

“Drawn Within V - Resting”, Luisa Soto

Ultimamente os dias de folga sabem-me sempre a pouco...

domingo, novembro 09, 2008

Euromilhões


Uma das minhas irmãs, esta noite que passou, sonhou que eu ganhava o euromilhões e que lhe oferecia 50.000,00 € (ou o prémio era pequeno, ou eu até nos sonhos sou sovina!)...
Bela profecia, caso ela se concretizasse, mas como não tenho o hábito sequer de jogar, vai ser difícil - está visto que tenho de fazer a minha parte, ou seja, ao menos preencher o raio do boletim, passá-lo na máquina e tentar a minha sorte!
Depois veremos se não é apenas uma Cassandrice

Your Daily Horoscope

Your horoscope for November 9, 2008
Today you could have an exciting sense of vision about your own future.
Sometimes you have strong intuition about events that might happen to you up ahead.
Right now you could get an enticing glimpse of how certain events in your life are going to unfold.
This could pertain to your personal or your professional life.
You're headed in the direction of some great things, so keep the faith!

terça-feira, novembro 04, 2008